brumadinho
Corpo de Bombeiros Divulgação
Funcionário terceirizado da Vale morre soterrado

A Prefeitura de Brumadinho (MG) suspendeu, por meio de decreto, o alvará de funcionamento e localização da mineradora Vale e de suas terceirizadas no município.

A medida, publicada em uma edição extra do Diário Oficial da cidade, foi tomada depois que um operário morreu em um soterramento na mina do Córrego do Feijão . De acordo com o Corpo de Bombeiros, um talude desmoronou perto do local do rompimento da barragem B1, que deixou 270 vítimas no ano passado, entre mortos e desaparecidos.

O homem era empregado de uma empresa terceirizada. O corpo foi resgatado durante a noite dentro da cabine da máquina, que foi destruída com o peso da terra de das pedras de minério.

O acidente foi em uma área de descarte de material. No local, não há operações de busca por desaparecidos da tragédia.

Segundo a prefeitura, a suspensão é válida por sete dias ou até que fatos sejam esclarecidos e a segurança dos trabalhadores esteja garantida.

De acordo com o Executivo, o decreto não afeta as obras da adutora no Rio Paraopeba nem as operações de buscas do Corpo de Bombeiros pelas 11 vítimas desaparecidas do rompimento da barragem.

Por meio de nota, a mineradora disse que "imediatamente após o acidente, a Vale paralisou suas atividades em Córrego do Feijão. A empresa segue apoiando as autoridades na apuração das causas e seguirá mantendo diálogo permanente com os órgãos públicos competentes".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários