Comércio de natal: as restrições de circulação impostas pela pandemia vão mudar o perfil dos contratantes, a divulgação das vagas e a seleção de candidatos
Rovena Rosa/Agência Brasil
Comércio de natal: as restrições de circulação impostas pela pandemia vão mudar o perfil dos contratantes, a divulgação das vagas e a seleção de candidatos

A temporada de  contratações para as festas de fim de ano já começou. Mesmo num ano totalmente atípico como foi o de 2020 — marcado pela pandemia de Covid-19, isolamento social e aumento do desemprego —, já foram geradas e estão abertas mais de 7.890 vagas em todo país.

Segundo especialistas, as restrições de circulação, impostas pelo risco de contaminação pela Covid-19, irão modificar o perfil dos setores contratantes, assim como a divulgação das vagas e a seleção de candidatos que deverão ser feitas de forma totalmente on-line.

A Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Assertem) projeta que, nos últimos três últimos meses do ano, poderão ser geradas até 400 mil vagas no Brasil. Até 20% dos postos poderão ser efetivados.O presidente da associação, Marcos de Abreu, afirma que no mês de outubro o setor da indústria tem concentrado as contratações para suprir a alta demanda do mercado, sendo que os principais segmentos que buscam reforços de trabalhadores temporários são: alimentos, farmacêutico, embalagens, metalurgia e automobilístico. Já nos meses de novembro e dezembro, Abreu reforça que o destaque será o comércio, seguido pelo setor de serviços para pessoas físicas.

— Com a proximidade do Natal, o comércio abrirá muitas vagas temporárias. Assim, quem está desempregado deve ficar atento às oportunidades que vão surgir. A dica para o trabalhador é procurar uma agência de trabalho temporário, associada e registrada no Ministério da Economia para ter mais segurança na contratação.

No comércio, segundo a Confederação Nacional do Comércio (CNC), neste fim de ano, 70,7 mil trabalhadores temporários deverão ser contratados para atender ao aumento sazonal das vendas. O número é 19,7% menor do que o registrado em 2019 (88 mil). Para o economista Fábio Bentes, autor do relatório, o crescimento do comércio eletrônico reduziu as perdas do varejo na pandemia, mas impõe desafios à expansão das vendas em lojas físicas. O cargo de vendedor deverá responder por 49% das vagas, segundo ele.

— A maioria dos postos de trabalho gerados pelo varejo é de vendedores, e no varejo eletrônico não há esse tipo de ocupação. Embora seja esperado um aumento de vendas em relação ao Natal de 2019, os shoppings estão com baixa movimentação e o consumidor está mais receoso em relação à compra presencial. Será um Natal com mais movimento no e-commerce — explica.

Para economistas, a reação na economia no pós pandemia está mais forte no comércio e indústria. O setor de serviços está mais difícil de apresentar os sinais de recuperação porque concentra, por exemplo, bares e restaurantes, e turismo, cuja demanda depende da presença física e as pessoas estão mais cautelosas. Para Rodolpho Tobler, economista do FGV IBRE, haverá ainda mais demanda e oferta de vagas também para o trabalho informal, especialmente de entrega que cresceu na pandemia:

— O comércio, mesmo com lojas físicas mais vazias, está experimentando o aumento baseado em entrega e na venda on-line. Para contratação de fim de ano, devem surgir vagas temporárias em novos segmentos atendimento telemarketing, baseado nos hábitos de consumo pós pandemia. Também deve crescer a participação de trabalho informal e bicos, como delivery. Há um crescimento de trabalhadores de serviços de entrega, e isso deve ser manter para o fim de ano — observa Tobler.

Novos postos em setores de atendimento

Por causa da pandemia e da expansão dos serviços e comércio eletrônicos, especialistas esperam que o perfil das vagas e o próprio formato de seleção sejam diferentes para este fim de ano. Na geração de postos de trabalho, em vez de mais vagas para atendimento presencial e vendas, são projetadas oportunidades para atendentes de telemarketing e atendimento remoto ao público, inclusive para home office.

As empresas e centrais de tele atendimento, por causa da demanda alta no setor de serviços, devem gerar até 30 mil vagas até o fim do ano, e muitas para trabalhar em casa, segundo a Associação Brasileira de Telesserviços (ABT). Por isso, Gabriela Mative, superintendente de Recrutamento e Seleção, da Luandre uma das maiores empresas de Recursos Humanos do país, avalia que os candidatos devem estar adaptados a um processo seletivo diferente:

— Nossa previsão é de, no mínimo, 4 mil posições para o varejo. Os processos seletivos devem ocorrer de forma mista, sendo a maioria remota. A divulgação das vagas também ocorrerá de forma on-line, não mais com quadro fixo dentro das lojas como acontecia nos anos anteriores. Algumas etapas, como dinâmica de grupo e assinatura de contrato presencial,serão eliminadas. Hoje, se utiliza muito entrevista individual e remota e o contrato também é virtual. Então, 80% dos processos serão conduzidos remotamente, desde a seleção até a admissão.

Você viu?

Aplicativos de shoppings lançam vagas

As habilidades comportamentais serão decisivas para a maioria das empresas no momento da contratação. Fernanda Centurion, gerente de Empregabilidade do Senac RJ, alerta que, sem o olho no olho das seleções presenciais, os empregadores serão atraídos por detalhes na apresentação dos candidatos:

— Em um processo de contratação, são avaliadas as competências técnicas e comportamentais do candidato e, diante disso, ele deve estudar e se preparar para expor suas experiências e qualificações, dando ênfase aos resultados alcançados, valorizando suas conquistas. A diferença na seleção on-line está na necessidade de preparar o ambiente, buscar um local tranquilo e organizado — ressalta Fernanda Centurion, gerente de Empregabilidade do Senac RJ.

Para procurar as vagas, o candidato deve fazer mais do que o tradicional “bater perna” e “gastar sola de sapato". Agora é preciso estar atento às oportunidades que surgem em aplicativos e sites:

— As pessoas que estão procurando vagas temporárias de final de ano devem ficar atentas aos aplicativos de centros comerciais e shoppings. Nessas plataformas, os lojistas estão anunciando suas vagas —destaca Diego Marcondes, diretor de Marketing da Ancar Ivanhoe, responsável por shoppings como Nova América e Madureira shopping.

Saiba como aumentar suas chances de contratação:

- Antes de se candidatar, de enviar o currículo e principalmente antes da entrevista, pesquisando informações sobre a empresa, o histórico da companhia, os valores e a missão;

- Se for preciso, de acordo com o perfil da vaga e da empresa, faça alterações no formato e no conteúdo do currículo;

- Utilize a vestimenta adequada de acordo com "dress code" da empresa e cargo, que você pode checar no momento que estiver pesquisando sobre o empregador.

- Cuidado com a postura e fala, fale com segurança e convicção. Seja verdadeiro na sua exposição e mantenha contato visual com o entrevistador.

- Em processos seletivos remotos, é preciso verifique conexões de internet e o ambiente em que o candidato estará para a entrevista;

- Faça testes nos equipamentos que vai utilizar, som, luz e sinal da internet, para que tudo flua nessa conversa com o entrevistador.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários