fila
Fenae
Governo alterou os calendários do auxílio recentemente; federação dos bancários diz que mudança tem gerado filas nas agências

Em meio à pandemia de Covid-19, um cenário que havia se amenizado voltou a acontecer: filas nas agências da Caixa para  saques dos R$ 600 ou R$ 1.200 do  auxílio emergencial. É o que aponta a Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) nesta terça-feira (22).

No início dos pagamentos do auxílio emergencial, em abril, havia aglomerações nas agências – fato que quebrava as recomendações sanitárias para a conteção da pandemia. Com o tempo e a ampla divulgação dos calendários pela imprensa, as filas foram diminuindo. Agora, elas voltam a acontecer.

As filas em agências da Caixa voltaram a ser registradas em diferentes locais do país, como em Recife (PE), Macaé e Petrópolis (RJ), Fortaleza (CE) e diferentes cidades do Estado de São Paulo. O governo federal até agora não divulgou os calendários de pagamento das parcelas de R$ 300, da prorrogação auxílio emergencial.

Para o presidente da Fenae, Sérgio Takemoto, o governo federal e a direção da Caixa não estão tendo uma boa comunicação sobre o calendário de pagamento do auxílio emergencial para a população.

"O governo não assume esse papel (de dar informações à população), (...) com informações como, por exemplo, os motivos por não estar recebendo o auxílio emergencial. Após sucessivos erros de organização e planejamento, a direção da Caixa Econômica e o Executivo federal ainda não aprenderam e seguem expondo os beneficiários e os bancários aos riscos de contaminação pela Covid-19", diz o presidente da federação dos bancários.

Entenda como estão os pagamentos do auxílio emergencial

No mês de julho, as inscrições para o auxílio emergencial se encerraram e o governo criou uma nova maneira de organizar os pagamentos, desta vez, por "ciclos", e não mais por "lotes", como vinha acontecendo desde abril.

Atualmente, o auxílio está caindo na conta e sendo sacado pelas pessoas que fazem parte do Ciclo 2, ou seja, pelos beneficiários que começaram a receber a renda emergencial em maio.  Entenda o calendário do auxílio emergencial que está em andamento agora.

É possível ter acesso ao calendário completo de pagamentos dos ciclos no  site da Caixa.


Auxílio será cortado em dezembro

Beneficiários pertencentes a diferentes ciclos receberão diferentes quantidades de parcelas. Nem todos os beneficiários receberão todas as partes do  auxílio emergencial, porque ele será cortado em dezembro, apesar da prorrogação de R$ 300 que já começou para alguns ciclos.

Veja a qual ciclo do auxílio emergencial você pertence e quantas parcelas vai receber:

Ciclo 1: beneficiário que recebeu a primeira parcela em abril e, ao todo, receberá todas as nove parcelas até dezembro (cinco de R$ 600 e quatro de R$ 300);

Ciclo 2: quem recebeu a primeira parcela em maio e, ao todo, receberá oito parcelas (cinco de R$ 600 e três de R$ 300);

Ciclo 3: quem recebeu a primeira parcela em junho e, ao todo, receberá sete parcelas (cinco de R$ 600 e duas de R$ 300);

Ciclo 4: quem recebeu a primeira parcela em julho e, ao todo, receberá seis parcelas (cinco de R$ 600 e uma de R$ 300).

    Veja Também

      Mostrar mais