Brasil Econômico

Matheus Pires ao lado de Raphael Avellar, empresário que o contratou
Arquivo pessoal/Raphael Avellar
Matheus Pires ao lado de Raphael Avellar, empresário que o contratou

O ex-entregador Matheus Pires, de 19 anos, vai começar uma carreira nova. Depois de ser agredido verbalmente com  ofensas racistas por um cliente, Matheus recebeu solidariedade pelas redes sociais – em campanhas que arrecadaram  R$ 200 mil, uma moto e um computador – e, além disso, um emprego com que sonhava há anos.

Segundo entrevista dada ao portal Uol, antes de trabalhar como entregador, Matheus tinha um emprego de jovem aprendiz, mas foi demitido. Por isso, começou a trabalhar em aplicativos de delivery, trabalho que já fazia como "bico". O jovem também já trabalhou em supermercados, como empacotador e entregador de panfletos.

As novas  oportunidades  vieram também pelas redes, depois da repercussão do caso de racismo. Há três anos, Matheus segue o perfil da agência de publicidade Avellar no Instagram e tinha como meta trabalhar com edição de vídeos e marketing digital. Inclusive, no fim do ensino médio, Matheus já fazia frilas de edição e chegou a criar um microempresa com outros profissionais da área.

Depois da agressão que sofreu, Matheus recebeu mensagens de apoio de Raphael Avellar, dono da agência de publicidade que seguia. Depois de conversarem no WhatsApp, Raphael ofereceu uma oportunidade a Matheus de trabalho com edição de vídeo na agência.

Além disso, Matheus recebeu uma bolsa de estudos em marketing, oferecida por outra empresa de Raphael, a Cria School. Ele também terá mentoria financeira de Thiago Nigro, YouTuber que toca o canal O Primo Rico.

Hoje, Matheus tem 2 milhões de seguidores no Instagram – enquanto seu novo chefe tem 110 mil.

    Veja Também

      Mostrar mais