Malta
Reprodução/ Malta
Governo de Malta oferece cinco vouchers para população utilizar em estabelecimentos locais

Após o forte impacto causado pela pandemia da Covid-19 , muitos países começam a buscar alternativas para tentar reaquecer os setores da economia que mais sofreram com os fechamentos e paralisações impostos pelas medidas de isolamento.

Para isso, algumas das iniciativas adotadas chamam atenção. Em sua maioria, as propostas oferecem incentivos para que a população ajude a fortalecer a  economia  local, seja em restaurantes, eventos culturais e outros estabelecimentos, ou na tentativa de atrair turistas, com descontos em destinos específicos e até diárias grátis em hotéis.

Um bom exemplo é o que tem ocorrido no Reino Unido . Sob o comando de Rishi Sunak, chanceler do Tesouro desde fevereiro deste ano, o país trabalha para oferecer diversos tipos de vouchers e descontos para a população.

Na lista, aparece o plano “eat out to help out” (coma fora para ajudar, em uma tradução livre), que consiste no pagamento, por parte do governo britânico, de 50% de qualquer conta nos restaurantes do país ao longo do mês de agosto.

A proposta tem algumas regras, como não ultrapassar 10 libras (cerca de R$ 67) e obrigatoriedade de ser utilizada de segunda a quarta-feira, mas é vista como uma medida importante para estimular a volta dos consumidores e a manutenção dos empregos.

Além da ajuda com a conta, os britânicos também podem contar com um auxílio mais inusitado: o “conserte a minha bicicleta ”. Como o próprio nome já diz, o governo vai oferecer um voucher de 50 libras (cerca de R$ 325) para que os cidadãos possam consertar as bicicletas que já tem e diminuam a quantidade de pessoas no transporte público. Ao todo, 500 mil cupons serão distribuídos.

Vouchers pelo mundo

Taiwan
Reprodução
Em Taiwan, é possível ganhar cupons culturais por meio de uma loteria

A maioria das iniciativas de incentivo ao retorno das atividades econômicas é voltada para o consumo de alimentos. Em Jersey , a maior das ilhas localizadas no Canal da Mancha, entre a Inglaterra e a França, o governo disponibilizou um voucher de 100 libras para cada um dos residentes, um pacote que custará cerca de 11 milhões de libras (mais de R$ 71 milhões) aos cofres públicos. O prazo de validade de cada cupom é de dois meses e o valor não pode ser gasto online ou ser revertido para qualquer tipo de poupança.

Procedimento parecido ocorreu também em Malta , um dos menores países da Europa, e em São Cristóvão e Nevis, na América Central. Aos maltenses com mais de 16 anos, foi disponibilizado um carnê com cinco vouchers, cada um valendo 20 euros (R$ 118), sendo que quatro servem para hotéis e restaurantes, enquanto o último deve ser utilizando para compras ou serviços. Já os habitantes da pequena ilha caribenha receberam um cupom de 150 dólares do caribe oriental (R$ 284) e só podem ser gastos com comida.

Porém, houve quem optasse por outras formas de “alimentar o corpo e a mente”. É o caso de Taiwan , a pequena nação ao leste da China, onde o governo criou o programa “Arts FUNGo”, que nada mais é do que um incentivo cultural. Os interessados deveriam se cadastrar em um site para poder participar da loteria que distribuiu cupons de 600 novos dólares tailandeses (R$ 104).

Até o momento, mais de 2,1 milhões de pessoas já foram contempladas nos sorteios desde o último dia 14 de julho, quando o Ministério da Cultura do país iniciou a distribuição. O dinheiro , segundo a proposta do governo, deve ser usado para a compra de entradas para exibições de arte, concertos, filmes ou outros eventos culturais, até mesmo em livrarias e lojas de artigos musicais.

Convite aos turistas

Egito
Shuttersock
No Egito, no Ministério do Turismo eliminou a obrigatoriedade de visto para os turistas

Já para salvar o setor de viagens e turismo , muitos países apostam em incentivos para recuperar os visitantes, que tiveram que se ausentar desde o início da pandemia. Para isso, a ideia é oferecer vantagens em passeios, acomodações e até isenções de obrigatoriedade de vistos.

É o caso do pacote de estímulos adotado pelo Ministério de Turismo e Antiguidade do Egito , que eliminou a necessidade do visto turístico para quem quer visitar as províncias de Sinai do Sul, Marsa Matruh e do Mar Vermelho até o próximo dia 31 de outubro. Além disso, o preço do ingresso em algumas atrações também foi reduzido, assim como o valor das passagens de avião. 

Em Palermo , capital da ilha italiana da Sicília, o governo está oferecendo uma quarta diária grátis para todos os turistas que chegarem de avião, não importando a companhia aérea utilizada. Para ter acesso a promoção, basta que o interessado tenha um agente de viagens ou acesse o site do aeroporto municipal e preencha um cadastro.

Outro país que aposta em descontos e ofertas para visitantes é a República Tcheca . Na capital Praga, o governo lançou um programa chamado “Em Praga como se estivesse em casa”, que vai oferecer vouchers de R$ 88 para cada turista que reservar diárias nos hotéis da cidade. Todo visitantes terá direito a um cupom por dia, até um máximo de quatro, e o dinheiro deverá ser utilizado em atrações da região, como museus, galerias e até no zoológico.

Por outro lado, Itália e Japão têm apostado no chamado turismo doméstico. Sede dos próximos Jogos Olímpicos, que irão ocorrer em julho de 2021, o governo japonês está oferecendo descontos nas diárias de hotéis localizados nos 14 municípios do leste do país. As ofertas podem fazer com que os interessados economizem até R$ 250 em cada diária.

Em solo italiano, o foco são as famílias de baixa renda. Para incentivar  viagens e possibilitar novas experiências a quem não tem poder aquisitivo para gastar com passeios, o governo vai oferecer cerca de R$ 880 para quem for passar as férias em outra localidade do país. Já os turistas da Calábria e de Marche receberão créditos adicionais se permanecerem em suas regiões, fortalecendo assim os estabelecimentos locais.

    Veja Também

      Mostrar mais