Brasil Econômico

Assaí procon racismo
Divulgação
Assaí é acusado de racismo


O Procon-SP notificou, na última sexta-feira (10), o supermercado Assaí de Mauá, na Grande São Paulo, depois de uma denúncia de racismo por um consumidor. Alan Braz, de 24 anos, teria sido abordado por seguranças do supermercado que o acusaram de portar uma arma. 


O órgão de defesa dos consumidores pede que a empresa esclareça quais procedimentos foram adotados, quais critérios são utilizados para contratar seguranças e qual é a política de treinamento dos funcionários quanto aos direitos dos consumidores. 

Entenda o caso

O caso ganhou repercussão na última semana depois de Alan publicar em sua conta no Instagram um relato sobre o acontecido. "Acabei de passar por uma situação totalmente humilhante, horrível e racista", descreveu o jovem. 

Ele conta que foi ao atacadista Assaí depois de um dia de trabalho na última segunda-feira (06), mas dessitiu de fazer compras porque o supermercado estava lotado. No estacionamento, dois seguranças o seguiram e disseram que uma mulher o viu com uma arma e que, portanto, ele precisaria ser revistado. 

Alan conta aos seguidores que não se deixou ser revistado. Ele acusa a empresa de racismo, cobra atitudes e lamenta passar por situações como essa. "Toda vez que eu vou no mercado, eu sempre me preocupo se eu não vou colocar a mão no bolso, se eu não vou colocar a mão na bolsa, se eu vou estar vestido de um jeito que as pessoas não me olhem desconfiando. Isso é uma coisa que está comigo desde criança. É muito, muito, muito triste", desabafa. Confira o vídeo completo:

Ver essa foto no Instagram

Eu ainda estou em choque,então depois eu coloco uma descrição mais detalhada

Uma publicação compartilhada por Mary Onê (@mary_onett) em



De acordo com o Procon-SP , 55% dos consumidores já sofreu discriminação ao estabelecer ou pretender estabelecer uma relação de consumo. Pela percepção dos clientes, a condição finaneira é o principal motivo da discriminação, seguido da cor e do gênero.

Depois da repercussão do caso, a rede de supermercados Assaí divulgou uma nota oficial em suas redes sociais. O atacadista afirma que demitiu o funcionário que abordou Alan e que está reforçando com "todo o time de lojas os procedimentos e a conduta esperada pelo Assaí no relacionamento com todos(as) nossos(as) clientes". Veja a nota completa:


    Veja Também

      Mostrar mais