A Petrobras conseguiu cassar a liminar obtida pelo Sindipetro do Rio de Janeiro que obrigava a estatal a fornecer mobiliário e pagar por pacotes de internet e gastos com energia elétrica aos seus empregados que estão em home office. Com a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) , a estatal vem apostando na intensificação da venda de ativos.


De acordo com a decisão da desembargadora Glaucia Zuccari Braga , do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região , disse que não é razoável determinar a "entrega em 16 mil domicílios, em meio de um surto de contaminação viral desenfreada que sujeita a todos ao risco de contraírem essa doença para que ainda não se conhece o remédio, nem a vacina".

Petrobras cassa liminar que obrigava arcar com os custos de home office
Divulgação
Petrobras cassa liminar que obrigava arcar com os custos de home office

Segundo ela, não há indícios de que a estatal tenha agido de forma irregular ao implantar o teletrabalho "como forma de responder à necessidade de se manter o distanciamento social para conter a disseminação da doença". Destacou ainda que empresa forneceu ajuda de custo para aquisição de itens como cadeira, teclado e mouse, além de equipamentos, em regime de comodato. 

Segundo a decisão, os 16 mil empregados, colocados em regime de teletrabalho, possuem condições de moradia. "A despeito das afirmações do sindicato, não se encontra no processo originário a mais singela informação de que algum empregado da Impetrante não tenha condições de realizar o teletrabalho".

A desembargora informou ainda "não parecer viável individualizar os custos de pacotes de dados e energia elétrica para cada empregado em teletrabalho, vez que, em razão de escolas fechadas e medidas restritivas de circulação, todos aqueles que habitam o mesmo imóvel inexoravelmente compartilham o uso da internet, e o consumo da energia elétrica".

    Veja Também

      Mostrar mais