Brasil Econômico

luz
Reprodução/Internet
Procon entendeu 'prática abusiva' na decisão da Enel

O Procon-SP (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor) multou a Enel, distribuidora de energia elétrica de SP, por prática abusiva. Depois de  altas nas cobranças de energia elétrica, a Enel foi multada por não dar parcelamento automático nas faturas dos clientes, só para aqueles que solicitarem. O Procon vê abuso na decisão.

O Procon se reuniu na terça-feira (7) com a Enel e com o Ministério Público de São Paulo.

O objetivo da reunião foi tratar da alta nas contas de energia, questionadas por consumidores. De 1 de junho ao dia 7 de julho, foram registradas mais de 21 mil queixas contra a Enel no Procon.

A concessionária concordou em rever as contas dos consumidores que registraram reclamação no Procon e que já estão sendo analisadas por uma força-tarefa formada por especialistas da instituição. Mas não concordou em fazer o parcelamento automático das contas de todos os seus clientes, apenas dos que reclamaram.

A Enel informou que para conseguir obter o parcelamento dos valores questionados, os consumidores deverão entrar em contato com a empresa, fazer o pedido e assinar uma confissão de dívida. O Procon  entende que tal prática é abusiva e, portanto, a Enel será multada.

Sobre reajuste das contas de energia

Diante da informação da Enel de que não abrirá mão de aplicar um reajuste nos valores das contas, o Procon encaminhou reclamação ao Ministério Público. De acordo com promotor de justiça e defesa do consumidor, o órgão irá se pronunciar até o final do mês.

Como reclamar

O consumidor que tiver dúvidas ou problemas referentes as suas contas de energia elétrica e não conseguiu um retorno satisfatório da empresa, pode procurar o Procon-SP, que disponibiliza canais de atendimentos à distância: no  site, aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais.

    Veja Também

      Mostrar mais