O representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer , afirmou nesta quarta-feira que o país decidiu encerrar as negociações sobre impostos sobre serviços digitais com autoridades da União Europeia. A suspensão ocorre após as conversas não avançarem nas últimas semanas. A ideia era criar uma estrutura tributária única para as empresas de tecnologias em vários países.

Leia também: 

Mega-Sena valendo R$ 32 milhões: veja os números sorteados nesta quarta-feira

Banco Central corta juros básicos que passam de 3% ao ano para 2,25%

Empresas poderão parcelar impostos atrasados pela crise da pandemia

Em audiência, Lighthizer disse que acreditava que era necessário um regime internacional para lidar com a tributação desses serviços, mas lamentou que as negociações com os países europeus não estavam se mostrando proveitosas.

Em carta enviada a quatro ministros de finanças europeus, revelada nesta quarta pelo jornal Financial Times , o secretário de Tesouro, Steven Mnuchin , alertou que as discussões haviam atingido um "impasse".

"Os Estados Unidos continuam se opondo aos impostos sobre serviços digitais e medidas unilaterais similares", escreveu Mnuchin " Como dissemos repetidamente, se os países optarem por cobrar ou adotar esses impostos, os Estados Unidos responderão com medidas proporcionais apropriadas".

 Países negociavam a possibilidade de um acordo internacional para taxar empresas como Amazon, Google, Apple e Facebook
Unsplash/zhang kaiyv
Países negociavam a possibilidade de um acordo internacional para taxar empresas como Amazon, Google, Apple e Facebook

Os impostos digitais são vistos por alguns países como uma maneira de aumentar a receita das operações locais de grandes empresas de tecnologia, como o Google , Facebook , Amazon e Apple .

Os defensores, principalmente da União Europeia , argumentam que as empresas lucram enormemente com os mercados locais, mas fazem apenas contribuições limitadas aos cofres públicos. A Espanha, por exemplo, insiste que o imposto digital que está considerando não discrimina por país e se aplicará a empresas independentemente de onde estejam sediadas.

Neste mês, Lighthizer anunciou a abertura de investigações sobre se as medidas tributárias digitais no Brasil, Reino Unido, Espanha, Itália e outros países representam uma prática comercial injusta. Se achar que sim, o governo dos EUA poderá impor novas tarifas comerciais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários