O diretor de Regulação do Banco Central ( BC ), Otávio Damaso , afirmou nesta quinta-feira (23), que o crédito está chegando para as empresas e pessoas que precisam. Ele participou de um evento que discutia o papel das fintechs no cenário pós-crise do coronavírus .

Governo deve liberar mais R$ 25 bi para auxílio emergencial

"O que temos visto é que está chegando sim na ponta, a gente acredita que ao longo dos próximos dias, próximas semanas, isso tende a se intensificar, mesmo porque a poeira vai baixando", afirmou.

Otávio Damaso
Beto Nociti/ Bacen
Otávio Damaso


Durante a crise causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) , alguns setores empresariais têm reclamado que os bancos estariam dificultando o acesso ao crédito.

No fim de março, associações de lojistas enviaram uma carta para o Banco Central e para o Ministério da Economia denunciando que os bancos estariam aumentando os juros cobrados por financiamentos.

Abastecimento de gás está praticamente regularizado, diz ministro

O diretor disse que as medidas do Banco Central estão atingindo seus objetivos e citou a liberação de R$ 40 bilhões para folha de pagamento de pequenas e médias empresas.

"Os movimentos estão alcançando seus dois objetivos, o de dar condições para os mercados funcionarem de forma adequada e naturalmente chegando na ponta, junto às famílias e principalmente micro, pequenas e médias empresas", disse.

Nesta quinta, o BC divulgou que a concessão de crédito para empresas em 2020 superou em 34% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Sistema sólido

Damaso garantiu que o sistema financeiro é sólido. Segundo ele, antes da crise, o sistema estava preparado para uma expansão na economia e no mercado de crédito.

"Todos os segmentos do sistema financeiro estavam hiper preparados para um ciclo de crescimento de crédito que estava se desenhando, tava todo mundo pronto para aproveitar as condições internacionais e do mercado doméstico para recuperar sua capacidade", disse.

O diretor também afirmou que o BC deve continuar na sua agenda de competitividade, chamada de “BC#” mesmo durante a crise. Ele defendeu que ela é importante também para depois da pandemia, citando o projeto de open banking e de pagamentos instantâneos.

Sobre fintechs, Damaso afirmou que há potencial de expansão para o ramo principalmente por causa da inovação.

"É um ponto da agenda do regulador e vem sendo reforçado neste momento e segundo porque é um segmento como eu disse no início tem a capacidade de pensar fora do quadrado, da caixinha, ver oportunidade, ter flexibilidade de se adaptar aos novos cenários, aos novos contextos", afirmou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários