Segundo o relatório “A Economia nos Tempos da Covid-19” do Banco Mundial, divulgado neste domingo, 12, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil terá uma diminuição de 5% este ano devido os efeitos do novo coronavírus (Sars-Cov-2). O banco estima que na América Latina e no Caribe a retração chegue a 4,6%.

Leia também: Novo coronavírus pode levar 500 milhões de pessoas para a pobreza

PIB do Brasil deve cair 5% com crise do coronavírus
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
PIB do Brasil deve cair 5% com crise do coronavírus


Dentre os 26 países analisados pelo Banco Mundial, apenas Guiana e República Dominicana conseguirão escapar da crise por conta das medidas preventivas de isolamento para combater a propagação da Covid-19 . Além do Brasil, a Argentina pode enfrentar uma queda de 5,2% e o México e o Equador uma ainda maior de 6%. A empresa não descarta a chance desses números serem ainda maiores.

Você viu?

Leia também: Análise econômica no Covid-19: Mortes à vista ou mortes a prazo

Quanto a recuperação do Brasil , a projeção também não é positiva. Enquanto o documento acredita que a América Latina e Caribe como um todo cresçam 2,6% em 2021, a estimativa é que o PIB brasileiro avance 1,5%. Segundo o banco, os governos devem considerar apoiar instituições do setor financeiro em busca de proteger os empregos na região. “Precisamos ajudar as pessoas a enfrentar esses enormes desafios e garantir que os mercados financeiros e os empregadores sobrevivam à tempestade”, disse Humberto López, vice-presidente interino do Banco Mundial para América Latina e Caribe. “É preciso limitar os danos e lançar as bases para a recuperação o mais rapidamente possível.”

Leia também: 60% das pequenas empresas que pediram empréstimos tiveram o crédito negado

Uma das soluções sugeridas pelo documento para mitigar os impactos da pandemia seria ampliar a cobertura de programas sociais na região. Eles defendem ainda que os governantes de cada país assumam “grande parte do prejuízo” e participem de instituições do setor financeiro para tentar preservar os empregos e possibilitar uma recuperação mais rápida da economia .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários