Cristo Redentor, Rio de Janeiro
Divulgação/Airbnb
Cristo Redentor, Rio de Janeiro

Devido a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), que se intensificou no Brasil a partir do segundo mês de março, a economia do turismo registrou perda de R$ 11,9 bilhões em volume de receitas. O número representa queda de 84% no faturamento do setor em comparação ao ano de 2019, segundo números da  Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Na primeira quinzena de março, a doença já havia causado prejuízo de R$2,2 bilhões, muito por conta das medidas de isolamento social e suspensão de parte das atividades de serviço que visam frear a disseminação da Covid-19. Segundo a entidade, a economia do turismo pode reduzir 295 mil empregos formais no período de três meses.

Veja também: Alimentos sobem, mas inflação de março é a menor para o mês desde o Plano Real

As medidas de distanciamento social reduziram drásticamente o fluxo de passageiros em todo o mundo e causaram recorde na taxa de cancelamento de voos no brasil. Segundo cálculos da confederação, as taxas de cancelamento de voos nacionais e internacionais nos 16 principais aeroportos do país saltaram de 4% do início de março para 88% até o final do mês; já o número de voos confirmados reduziu 91% em relação ao último mês de fevereiro.

"As atividades econômicas que compõem os setores representados pela CNC dependem da circulação de mercadorias e consumidores e, por isso, são os que representam maior potencial de impacto negativo", afirmou, em nota, o presidente da CNC.

Leia mais: Pandemia de Covid-19: consumidores não precisam temer desabastecimento

A confederação diz que está trabalhando em conjunto com o Ministério do Turismo na elaboração de ações para amenizar os prejuízos motivados pela crise do novo coronavírus.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários