A Embraer apresentou ao Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos , nesta segunda-feira (6), uma proposta para suspensão de contratos de trabalho e redução salarial que, em alguns casos, ultrapassa 25%. A medida será aplicada após o final das férias coletivas, na próxima quinta-feira (9).

Governo dobra valor de garantia sobre captação dos bancos

Uma segunda rodada de negociações está marcada para amanhã. A proposta apresentada pela Embraer só não atingirá os trabalhadores que permanecerem em atividade na fábrica durante o período em que durar a pandemia. Eles receberão 100% de seus salários.

Embraer
Embraer/Divulgação
Embraer


Durante o período de vigência da suspensão do contrato de trabalho , a empresa oferece establidade de emprego, além de estender o prazo por mais 60 dias após o retorno ao trabalho. O complemento dos salários será feito com recursos do seguro-desemprego, conforme prevê a MP 936 , que permite a redução da jornada de trabalho e de salários.

Para os trabalhadores que estão em home-office, a empresa redução salarial de 25%, com jornada de trabalho semanal de de 32h15m. A redução da jornada e salário deve durar até 90 dias, podendo ser cancelada a qualquer momento.

Coronavírus: Procon-RJ terá telefone exclusivo para denúncias sobre pandemia

O Sindicato reivindica estabilidade no emprego por um ano, licença remunerada ou, no limite, suspensão de contratos de trabalho com 100% do salário e renovação de todos os direitos previstos na convenção coletiva da categoria.

O Sindicato também propôs a suspensão da cobrança dos empréstimos consignados enquanto os salários não forem normalizados.

"A Embraer tem condições de manter salários e empregos e vamos cobrar isso dela. É importante ressaltar que a proposta final será submetida à votação dos trabalhadores. Só eles têm o poder de decidir", afirma o diretor do Sindicato , Herbert Claros .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários