Brasil Econômico

Ministro Paulo Guedes
José Cruz/Agência Brasil
Ministro Paulo Guedes: "não é hora para oportunismo político"

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou durante a coletiva do Governo Federal nesta sexta-feira (3) que o Brasil vai gastar todo o orçamento dos ministérios para o ano em três meses. A expectativa de gastos para o Governo Federal é de R$ 1 trilhão.

LEIA MAIS: Auxílio de R$ 600 para não cadastrados será solicitado por app

“Os programas lançados pelo governo Bolsonaro na área econômica já passaram de R$ 800 bilhões, e poderão chegar a R$ 1 trilhão. Não é hora de buscar protagonismo, de oportunismo político”, afirmou Guedes. “É hora de união para superarmos estes desafios”.

“Desde que formulamos o programa, o grande desafio é a logística de entrega”, disse o ministro sobre as críticas que recebeu pela demora para sancionar o coronavoucher. Guedes elogiou o ministro Alexandre de Moraes, do STF, minimizando divergências políticas do Rodrigo Maia, presidente da Câmara. 

Solicitação de auxílio por app

O ministro Onyx Lorenzoni, da Cidadania, anuncia que 20 milhões de pessoas que não estão no Cadastro Único poderão acessar um aplicativo a partir da próxima terça-feira (7) para receber o auxílio de R$ 600 reais. A estimativa do ministério é que os contemplados tenham o benefício antes do feriado da Páscoa.

“Será um aplicativo super simplificado que não trará nenhuma taxa ou ônus à pessoa”, afirma Lorenzoni. O cadastro levará 48 horas para ser aprovado, e o recurso será creditado pela Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil ou rede bancária privada. Saques nas casas lotéricas estarão autorizados. Futuramente, a retirada também acontecerá em caixas eletrônicos, garante o ministro.

LEIA MAIS: Rombo nas contas públicas deve alcançar R$ 419 bilhões

A partir do dia 16 de abril, os 12 milhões de beneficiários do Bolsa Família terão acesso ao auxílio emergencial, que poderá ser de R$ 600, R$ 1.2 mil ou R$ 1,8 mil. “Queremos trazer tranquilidade para as pessoas. O esforço será pleno”, afirma o líder da Casa. “Precisamos, neste momento, unir a todos. Prefeitos, governadores, parlamentares, poder executivo… Estamos em uma guerra contra o coronavírus”. 

    Veja Também

      Mostrar mais