Banco Central anunciou medida que pode liberar R$ 650 bilhões na economia
Raphael Ribeiro/BCB - 26.4.2019
Banco Central anunciou medida que pode liberar R$ 650 bilhões na economia

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou na noite de quarta-feira (1º) uma medida do Banco Central (BC) que pode liberar até R$ 650 bilhões na economia.

Leia também: Bolsonaro diz que auxílio de R$ 600 começará a ser pago na próxima semana

A partir dessa decisão, o Banco Central poderá emprestar recursos aos bancos tendo como garantia as carteiras de crédito dessas instituições.

Na prática, o banco emite uma letra financeira, que é um título de renda fixa usado para captar recursos, baseado na carteira de crédito. A partir disso, o Banco Central usa essa letra financeira como garantia para o empréstimo.

O objetivo da nova medida é dar liquidez para o mercado funcionar de forma equilibrada. Liquidez é a facilidade com que um ativo, como um título público ou fundo de renda fixa, pode ser transformado em dinheiro.

Você viu?

Em um momento de crise , os investidores costumam buscar ativos com menor risco, como o dólar. Um movimento grande de vários investidores nessa direção causa falta de dinheiro no mercado, a falta de liquidez, fazendo com que muitos recursos fiquem “presos” em ativos que não tem tanta procura.

Então, com essa mudança, o Banco Central busca injetar recursos para equilibrar e facilitar o funcionamento do mercado.

Em nota, o BC disse que o objetivo é "oferecer a liquidez necessária para que o Sistema Financeiro Nacional possa se manter estável frente ao aumento da demanda observada no mercado de crédito, fruto dos reflexos da propagação da Covid-19 ".

As operações terão prazo mínimo de 30 dias e máximo de 359. O BC deve aceitar créditos com nível baixo de risco e exigir uma garantia em valor superior ao do empréstimo.

Na terça, o presidente Jair Bolsonaro publicou uma medida provisória que fez um ajuste na legislação para que o novo tipo de empréstimo fosse possível.

A MP mudou o prazo de vencimento das letras financeiras de modo a permitir que essa operação fosse feita.

No dia 23 de março, o Banco Central já havia anunciado outra nova modalidade de empréstimos , mas com base em debêntures, que são títulos de dívida de empresas privadas. O potencial de liberação dos recursos, no entanto, era bem menor, de R$ 91 bilhões.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários