O presidente do Banco Central ( BC ), Roberto Campos Neto , anunciou, nesta sexta-feira (27), que o governo vai enviar ao Congresso uma Proposta de Emenda à Constituição ( PEC ) para autorizar a autoridade monetária brasileira a comprar créditos diretamente de empresas em cenários de crise, sem passar pelo sistema bancário.

Doria anuncia R$ 50 milhões para erguer hospitais de campanha em São Paulo

Campos Neto destacou que é uma medida semelhante ao que o Federal Reserve ( Fed ), o banco central dos Estados Unidos , já faz. A PEC aumentará exponencialmente o poder de fogo da autarquia para estabilizar o mercado frente aos desafios econômicos com o coronavírus.

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central


O anúncio foi feito no Palácio do Planalto , onde também foram apresentadas uma linha de crédito para pequenas empresas financiarem a folha de pagamento por dois meses e uma linha de crédito de R$ 5 bilhões para santas casas.

Pela legislação atual, o Banco Central não pode comprar ativos financeiros , públicos ou privados , no âmbito dos mercados financeiro e de capitais .

Campos Neto argumentou que essa é uma medida tomada por bancos centrais de vários países do mundo, sendo muito potente para estabilizar o mercado de crédito onde as instituições financeiras "não chegam".

"Essa é uma medida que tem largo alcance. O balanço do Banco Central é enorme, tem mais de R$ 1,5 trilhão. Então essa é uma medida muito importante para estabilizar o crédito", disse o presidente do BC.

Objetivo é usar a medida apenas em momentos de crise

"A ideia não é que o Banco Central tenha sempre essa autonomia, mas que, em cenários de crise, como estamos vivendo, que o Banco Central, sim, tenha essa autonomia para fazer esse tipo de operação, que nós entendemos que faz o mercado de crédito fluir mais facilmente", disse ele.

Em movimento que injetou ânimo aos mercados globais nesta semana, o Federal Reserve anunciou ações históricas nesse sentido, incluindo compra de bônus corporativos e financiamentos diretos a empresas.

O Fed também concederá empréstimos para estudantes, empréstimos com cartão de crédito e empréstimos garantidos pelo governo dos EUA a pequenas empresas. Adicionalmente, comprará títulos de empregadores maiores e fará empréstimos a eles.

Empresas do agronegócio doarão álcool para ajudar São Paulo contra coronavírus

Nesta sexta-feira, Campos Neto afirmou que a medida que está em elaboração permitirá que BC atue como o Fed .

"Hoje em dia o Banco Central brasileiro não tem essa capacidade, o máximo que ele pode fazer é injetar liqu0idez no sistema. Obviamente, numa situação conturbada como a que nós estamos, nem sempre a liquidez chega na ponta final", afirmou.

    Veja Também

      Mostrar mais