Brasil Econômico

dólar
shutterstock
O mercado espera que o Banco Central (BC) brasileiro corte juros nesta semana em, pelo menos, 0,5 ponto percentual, o que levaria a Selic à mínima histórica de 3,75% ao ano

Nesta segunda-feira (16), a cotação do dólar fechou em alta de 4,55%, a R$ 5,048, novo recorde histórico nominal (sem contar a inflação). O turismo é cotado a R$ 5,22 na venda. Em algumas casas de câmbio, chega a ser vendido acima de R$ 5,28.

Bolsa abre com queda de 12% e tem novo circuit breaker; dólar beira os R$ 5

No mercado, o dia foi de abalo, após um novo  corte surpresa na taxa de juros dos EUA  e com mais países fechando fronteiras para tentar frear a pandemia de coronavírus.

No Brasil, crescem as apostas de um corte na taxa Selic nesta semana. O mercado espera que o Banco Central (BC) brasileiro corte juros nesta semana em, pelo menos, 0,5 ponto percentual, o que levaria a Selic à mínima histórica de 3,75% ao ano.

Guedes cobra reformas e diz que contágio é mais rápido no Brasil do que na China

Na parcial do mês, o dólar acumula alta de 12,95%. No ano, o avanço é de 26,22%. Na sexta-feira, o dólar subiu 0,51%, R$ 4,8127. Já a Bovespa registrou o 5º 'circuit breaker' em seis pregões logo na abertura e fechou em queda de mais de 10%.

    Veja Também

      Mostrar mais