Brasil Econômico

Nesta quinta-feira (12), o ministro da Economia , Paulo Guedes , afirmou que o Brasil "vai tomar o impacto" da crise provocada pelo coronavírus, contudo ela é "passageira".

Desempregados estão, em média, há um ano e 3 meses sem trabalho, diz CNDL/SPC

O ministro fez a afirmação após ser questionado por jornalistas sobre a disparada do dólar, que chegou a R$ 5, pela primeira vez na história, nesta quinta. Na última semana, Guedes havia afirmado que se fizesse "muita besteira, o dólar poderia bater em R$ 5".

Participação de Paulo Guedes no Fórum Econômico Mundial
World Economic Forum/Ciaran McCrickard
Participação de Paulo Guedes no Fórum Econômico Mundial


Guedes esclareceu que o comentário da semana passada era pra se referir tanto a ele e ao governo quanto "ao Congresso , Senado , Câmara , Presidência da República , ministros, opinião pública informada pela mídia". Ainda segundo ele, "todos nós somos responsáveis" pela instabilidade que gerou a disparada do dólar .

"É uma crise passageira, uma pandemia, como foi dito do ponto de vista de saúde pública. Tem uma onda de impacto, um período de difusão, e depois ela cede também com força. Já está acontecendo isso na China . Vamos tomar o impacto agora", afirma o ministro.

"A nossa avaliação é que, se há algum espaço agora, é para justamente remanejar o orçamento para essas prioridades (área de saúde, por conta do coronavírus )", afirmou Guedes .

Após quase cair 20%, Ibovespa ameniza queda e recua 14% com anúncio do Fed

"É hora de explorarmos as disputas? De jogamos os poderes uns contra os outros por pequenos deslizes de comentários? Ou é hora de tentarmos interpretar corretamente o que está sendo transmitido e tentarmos construir a saída juntos", finalizou o ministro.

    Veja Também

      Mostrar mais