Brasil Econômico

O Procon-SP multou, na última quarta-feira (4), a empresa alimentícia Vigor por publicidade infantil de seu produto "Vigor Grego Kids", que foi lançado em 2014 focado em crianças. O valor fixado foi acima de R$ 1 milhão.

Nordeste recebe apenas 3% das concessões do Bolsa Família

O órgão concluiu que a estratégia desenvolvida pela marca pressionou sobre as crianças para persuadi-las ao consumo indiscriminado do produto, por conta de expressões assertivas e imperativas nas peças publicitárias e à relação entre desenho animado, cards colecionáveis e games do produto.

Vigor
Divulgação
Vigor


A Vigor foi denunciada, em 2015, pelo programa Criança e Consumo . Em 2014, a marca veiculou uma ação publicitária que iniciava com a chamada: "atenção pessoas nascidas a partir de 2003, a Vigor tem uma notícia extraordinária". A propaganda também tinha depoimentos de crianças que declararam frases como "dá vontade de comer os quatro" ou "eu achei esplêndido".

Em declaração, a advogada do programa Criança e Consumo , Livia Cattaruzi , afirmou: " Comemoramos a decisão dada pelo Procon-SP, que reconhece a ilegalidade da publicidade infantil em um momento de forte debate sobre a prática, ocasionado pela proposta de criação de portaria sobre o tema por parte da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon). Enquanto o texto dessa nova proposta ignora a legislação existente, desconsidera pesquisas e, ainda, ameaça enfraquecer as regras atuais vigentes, é de fundamental importância a atuação dos órgãos do sistema nacional de defesa do consumidor na proteção da infância, para coibir que crianças continuem sendo exploradas comercialmente ".

Já a Vigor declarou que apresentou recurso ao órgão competente e argumentou que o produto está fora de circulação desde 2016. Veja a íntegra do posicionamento da empresa:

"Sobre as iniciativas envolvendo o item Vigor Grego Kids, a Vigor informa que já apresentou seu recurso de defesa ao órgão responsável e está à disposição para quaisquer esclarecimentos que se façam necessários. A empresa reforça ainda que as ações foram realizadas em 2014 e que o produto em questão está descontinuado do portfólio da marca desde 2016.
A Vigor ressalta que tem como princípio o respeito ao consumidor e atende à regulamentação dos órgãos competentes, incluindo normas estabelecidas para a publicidade de produtos."

    Leia tudo sobre:

    Veja Também

      Mostrar mais