Brasil Econômico

O Governo Federal deu prioridade ao Sul e Sudeste nas concessões de novos benefícios do programa Bolsa Família em janeiro deste ano. Já a Região Nordeste , que concentra 36,8% das famílias que se encontram em situação de pobreza (ou extrema pobreza ) na fila de espera, recebeu apenas 3% dos novos benefícios. Os dados foram divulgados, nesta quinta-feira (5), pela coluna Broadcast do "Estadão".

23 gatos entram na Justiça contra construtoras e pedem indenização de R$230 mil

De acordo com o jornal, as regiões Sul e Sudeste obtiveram 75% das novas concessões. Em uma comparação, o número dos benefícios que foram dados a Santa Catarina , que tem um número populacional oito vezes inferior ao do Nordeste , foi o dobro do repassado à região nordestina inteira, em que todos os governadores são da oposição. Em Santa Catarina, o governador é Carlos Moisés ( PSL ).

Bolsa Família
Jefferson Rudy/Agência Senado - 1.1.14
Bolsa Família


Em 2018, a Região Nordeste foi a única que votou em ampla maioria no candidato do PT , Fernando Haddad . Nas outras regiões, Bolsonaro foi vencedor. No Sul foi onde conseguiu sua maior vantagem, tendo 68,3% em comparação aos 31,7% de Haddad.

Não é a primeira polêmica de Bolsonaro com o Nordeste . O jornal havia revelado, em 2018, que a Caixa  reduziu o volume de novos empréstimos para a região após a vitória do atual presidente.

Censo 2020: saiba como e quando será a visita do recenseador à sua casa

O governo busca um novo desenho do programa mas, por enquanto, o alcance do Bolsa Família tem sido menor no país inteiro. Entre os meses de junho e dezembro , a concessão de novos benefícios caiu a uma média de 5,6 mil por mês. Antigamente, eram mais de 200 mil benefícios concedidos por mês.

O Ministério da Cidadania informou em nota que o processo de concessão de benefícios é "impessoal e realizado por meio de sitema automatizado que obedece ao teto das verbas orçamentárias destinadas ao programa".

    Veja Também

      Mostrar mais