Brasil Econômico

gatos
Arquivo pessoal
Construtoras farão empreendimento em terreno onde vivem os gatinhos


Um grupo de 23 gatos entrou na Justiça contra duas construtoras no bairro da Graça, em Salvador (BA). Os felinos são representados pela estudante Camila de Jesus Dantas de Oliveira, que pede uma indenização de R$230 mil às empresas. 

Camila e sua mãe cuidam dos gatos em situação de rua há três anos, dando comida, água e vermífugos. Recentemente, porém, a Civil Construtora e a Barcino Esteve Construções iniciaram um empreendimento no terreno onde vivem os bichos, impedindo a jovem de continuar cuidando deles. 

Leia também: Protagonista do meme dos '3 reaix' processa 56 empresas por uso de sua imagem

De acordo com o texto do processo, Diego, Margarida, Florzinha, Lady, Trico, Frida, Fofucha, Tim, Harry, Tigresa, Nino, Tigrão, Chitãozinho, Monalisa, Monalisinho, Tigradinha, Chorão, Laranjinha, Pimpó, Tigrado, Pretinha, Zangada e Branca estão “morrendo porque estão sem água e comida”, além de estarem “em meio a entulhos e empregados”. Camila teria pedido autorização para entrar no terreno, mas foi negada. 

Nesta quinta-feira (05), acontece uma sessão de mediação entre as partes . Em nota enviada à imprensa, as construtoras afirmam que os gatos não estão mais no terreno, já que foram capturados, passaram por procedimentos veterinários e foram encaminhados para centros de adoção.

    Veja Também

      Mostrar mais