navio tombado arrow-options
Reprodução Globo
Navio MV Stellar Banner da empresa sul-coreana Polaris transportava minério de ferro para a Vale

Um navio contratado pela Vale está a deriva no litoral do Maranhão desde a noite da última segunda-feira (24).

A embarcação, operada pela empresa sul-coreana Polaris, sofreu uma avaria na proa após deixar o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, em São Luís, na capital do Maranhão. O problema ocorreu fora do canal de acesso ao porto, a 100 quilômetros do litoral.

Veja também: Cerca de 37 milhões ainda têm direito a sacar o FGTS; prazo está acabando

O navio, chamado de MV Stellar Banner, transportava minério de ferro para a Vale e saiu do porto privado da mineradora. O destino da embarcação era a China, principal comprador da commodity da Vale.

Segundo fontes, o problema gerou forte preocupação entre funcionários da Marinha, da Vale e dos governos do Nordeste vizinhos ao Maranhão.

"A embarcação está a deriva desde segunda-feira. Há um grande medo de que haja algum tipo de impacto ao meio ambiente. Há um esforço para evitar o pior já que havia uma fissura na proa. Há entrada de água nos compartimentos de carga", disse uma fonte que participa da operação

Segundo essa mesma fonte, o comandante do navio optou por encalhar o navio em um banco de areia. "Tão logo o problema foi detectado, a Marinha e a Capitania dos Portos, além da Vale, foram acionados", afirmou. "Há um risco de que o navio afunde. Esse é o medo", completou.

Posição da mineradora

Procurada, a Vale confirmou que foi comunicada pelo operador do navio MV Stellar Banner que a embarcação sofreu avaria na proa após deixar o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira na noite de segunda-feira.

Governo foi alertado sobre crise no Bolsa Família e ignorou, diz jornal

A mineradora destacou ainda que, por medida de precaução, os 20 tripulantes foram retirados do navio. "O comandante do navio adotou manobra de encalhe a cerca de 100 quilômetros da costa de São Luís", disse a Vale.

A embarcação, construída em 2016, é de propriedade e operada pela empresa sul-coreana Polaris. A Vale, que também é operadora portuária, "está atuando com suporte técnico-operacional, com o envio de rebocadores, e colaborando com as autoridades marítimas".

    Veja Também

      Mostrar mais