Brasil Econômico

O dólar encerrou, nesta quarta-feira (19), em alta de 0,177%, a R$ 4,3657. O valor renova a máxima de fechamento, um dia após o presidente do Banco Central , Roberto Campos Neto , declarar que está tranquilo em relação ao câmbio e com os impactos do coronavírus nos investimentos.

Petrobras anuncia aumento de 3% no preço médio da gasolina

Na máxima do dia, a moeda norte-americana chegou a R$ 4,3775. Na parcial mensal, o dólar acumula uma elevação de 1,87%. No ano, a alta é de 8,86%.

Dólar
Pixabay/Reprodução
Dólar


O dólar mais valorizado nas últimas semanas tem repercutido os juros em mínimas históricas e o impacto global do coronavírus . Além disso, o dólar vem refletindo as perspectivas sobre o ritmo de crescimento da economia do País e o prosseguimento das reformas no Congresso .

Banco Central

O presidente do Banco Central , Roberto Campos Neto , reafirmou nesta terça que o câmbio brasileiro é flutuante e que o BC está "tranquilo" sobre o tema.

Comissão da reforma tributária será instalada hoje, informa presidente do Senado

"Nós estamos tranquilos. Obviamente, sempre que identificarmos um movimento de falta de liquidez, um movimento exagerado ou que Brasil está se descolando dos seus pares ou que começou a influenciar a expectativa de inflação, aí o Banco Central pode fazer uma intervenção", afirmou Campos Neto .

Entre quinta e sexta-feira da semana passada, a autoridade monetária vendeu US$ 2 bilhões em contratos de swap cambial tradicional em ofertas líquidas destes ativos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários