Brasil Econômico

A falta de servidores, novas regras previdenciárias e desatualização de sistemas levaram a uma fila de dois milhões de pedidos para a concessão de aposentadorias e benefícios
Foto: Divulgação
A falta de servidores, novas regras previdenciárias e desatualização de sistemas levaram a uma fila de dois milhões de pedidos para a concessão de aposentadorias e benefícios

Após a  troca no comando, o governo anunciou que vai convocar mais uma categoria de aposentados para ajudar a diminuir as filas do INSS. Além de  militares da reserva e aposentados civis, peritos aposentados do INSS foram incluídos na lista dos que serão chamados.

Com essa nova medida, o governo pretende solucionar o atendimento de uma parcela frágil dos beneficiários: são aqueles que dependem de Benefício de Prestação Continuada (BPC), como deficientes e aposentados por invalidez.

Os peritos estão vinculados à Secretaria de Previdência do Ministério da Economia e, portanto, não estão incluídos no grupo de aposentados civis, ligados ao INSS, que o governo já anunciou que pretende convocar.

A falta de servidores, novas regras previdenciárias e desatualização de sistemas levaram a uma fila de dois milhões de pedidos para a concessão de aposentadorias e benefícios.

A problemática teve início em 2018, quando o INSS intensificou o processo de digitalização com a implantação do Meu INSS. Isso porque ficou mais fácil pedir os benefícios, mas o ritmo das análises não acelerou na mesma proporção.

Com a reforma aprovada, a Nova Previdência começou a valer em 13 de novembro do ano passado. Mas os sistemas do INSS não foram atualizados a tempo. Assim, todos os pedidos feitos desde então com base nas novas regras estão parados, sem previsão de quando terão andamento.

Somada a essas mudanças está o déficit de pessoal. No ano passado, mais de 5,7 mil servidores se aposentaram.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários