Jerome Powell
Fed/Divulgacao
Presidente do FED manteve os juros norte-americanos nesta quarta-feira

O presidente do Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos Estados Unidos), Jerome Powell, demonstrou que a autoridade monetária americana está atenta aos avanço do coronavírus .

Coronavírus: busca por máscaras de proteção dispara em cidade brasileira

Durante seu discurso após a decisão de manter os juros dos EUA inalterados, ele falou das preocupações com a doença.

"As incertezas que pairam sobre a economia global permanecem, incluindo àquelas relacionadas ao coronavírus" — disse Powell. "O vírus deve afetar a atividade econômica da China e talvez do mundo", avaliou.

Buscas mostram confusão com cerveja Corona e coronavírus, entenda

Powell destacou o sofrimento humano que a doença tem causado e disse que o BC americano está atento a situação global. 

"O coronavírus é uma questão séria, causa um sofrimento humano significativo. O Fed está monitorando cuidadosamente a situação dessa doença", acrescentou.

Nesta quarta, o Fed decidiu manter os juros americanos no intervalo entre 1,5% e 1,75%. Em decisão unânime, os membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) justificaram a decisão tendo como base os atuais números da economia dos EUA .

"Os ganhos de emprego têm sido sólidos e a taxa de desemprego tem permanecido baixa", disse o comitê do Fed em comunicado.

Por que o Coronavírus está derrubando a Bolsa no Brasil? Entenda

A decisão sobre a taxa de juros era amplamente esperada , com os dados econômicos recentes. Eles mostram a economia em crescimento contínuo e nenhum sinal de que inflação está subindo rápido a ponto de representar um risco.

O Fed cortou os juros três vezes no ano passado para reforçar uma economia afetada por guerras comerciais e estabeleceu um padrão alto para quaisquer mudanças adicionais nas taxas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários