Tamanho do texto

O índice subiu para 65,3 pontos, o que representa que a confiança dos empresários da indústria está alta, podendo aumentar a produção, os investimentos e os empregos

confiança arrow-options
Arquivo/Agência Brasil
Cresce a confiança do empresário da indústria


O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) subiu para 65,3 pontos em janeiro. Este é o maior valor desde julho de 2010 e está 10,5 pontos acima da média histórica. O dado foi divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta quinta-feira (23). 

Em relação a dezembro de 2019, o índice subiu 1 ponto. A escala vai de 0 a 100 e, a partir de 50 pontos, a CNI já considera que os empresários estão confiantes. De acordo com a pesquisa, a confiança elevada se baseia na expectativa para os próximos seis meses e no sentimento de melhora da situação econômica. 

Leia também: Preço da carne desacelera e prévia da inflação de janeiro fica em 0,71%

Para Marcelo Azevedo, economista da CNI , a confiança elevada dos empresários tende a acarretar em mais produção, investimentos e empregos . “Os empresários estão mais otimistas porque percebem melhoras no ambiente de negócios. Os juros e a inflação estão menores e há um aumento da demanda e da produção. Desde o fim do ano passado, há uma melhora da atividade. Além disso, os empresários acreditam que esse ambiente vai melhorar nos próximos seis meses. Por isso, a confiança começa o ano em alta”, afirmou à agência de notícias da CNI.

Sul mais otimista

No índice separado por regiões, os empresários do Sul foram os mais confiantes do Brasil , chegando a 67,2 pontos. O índice de confiança no Norte foi de 65 pontos; no Sudeste e no Centro-Oeste, foi de 64,6 pontos; no Nordeste, de 64,5 pontos.

Já na separação das companhias por tamanho, a confiança dos empresários foi maior nas grandes empresas , com índice atingindo os 66,4 pontos. Nas médias empresas, o ICEI foi de 64,9 pontos e, nas pequenas, de 63,4 pontos.