Tamanho do texto

Presidente diz que trabalha para que o combustível seja vendido sem intermediários, o que reduziria os custos ao consumidor final; entenda

posto de gasolina arrow-options
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Bolsonaro disse que preço do etanol pode cair 20 centavos com venda direta aos postos, sem distribuidores

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender, nesta quinta-feira (16), que as usinas passem a entregar o etanol diretamente aos postos de combustível. Em transmissão ao vivo nas redes sociais, o capitão reformado disse que a previsão é que, sem a necessidade de passar por um distribuidor, o valor do etanol cairá ao menos R$ 0,20.

Leia também: Oito rótulos da cervejaria Backer estão contaminados, diz Ministério; veja quais

"A nossa previsão é que o preço caia pelo menos R$ 0,20 o litro do etanol , porque evita o que a gente chama de passeio do álcool. Ele sai da refinaria anda 100, 200, 300 km. Depois volta para 300 km para ficar dez quilômetros da usina. Não tem cabimento isso daí", disse Bolsonaro.

Horas antes, o presidente havia recebido em seu gabinete produtores de etanol do Nordeste, que defenderam a venda direta . Bolsonaro voltou a dizer que está trabalhando para que a Câmara e o Senado revoguem uma resolução da Agência Nacional de Petróleo (ANP), que obriga os usineiros a entregarem o combustível a uma distribuidora .

Leia também: Inadimplência no país abre 2020 com 61 milhões de brasileiros negativados

"É uma resolução. Não pode vender da usina para o posto de combustível . Por que isso? Tem que ter um intermediário no caminho, um distribuidor. Estamos trabalhando nesse sentido. Conversei com Rodrigo Maia a este respeito. Não conversei com o Davi Alcolumbre ainda. Eles são os donos da pauta lá e, se Deus quiser, a gente vai romper essa barreira lá", afirmou.