Tamanho do texto

De acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (8), a estimativa é 6,6% superior à safra de 2018

grãos arrow-options
shutterstock
Recorde anterior foi em 2017, quando foram produzidas 238,4 milhões de toneladas

A safra de cereais, leguminosas e oleaginosas fechou 2019 com uma produção recorde de 241,5 milhões de toneladas, segundo a última estimativa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (8), a estimativa é 6,6% superior à safra de 2018, de 226,5 milhões de toneladas, e 1,3% maior que o recorde anterior, de 2017, de 238,4 milhões de toneladas.

De acordo com o IBGE, a soja, que é o principal grão, no entanto, fechou com 113,5 milhões de toneladas, uma queda de 3,7% em relação a 2018. O arroz também teve redução de 12,6%.

Petróleo sobe e bolsas caem após ataque iraniano a bases dos EUA no Iraque

As quedas foram compensadas, principalmente, pelas produções recordes de 100,6 milhões de toneladas de milho, com 23,6% a mais que em 2018, e de 6,9 milhões de toneladas de algodão, uma alta de 39,8%.

Regionalmente, o volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresentou a seguinte distribuição:

Centro-Oeste, 111,5 milhões de toneladas (46,2%);
Sul, 77,2 milhões de toneladas (32,0%);
Sudeste, 23,7 milhões de toneladas (9,8%);
Nordeste, 19,2 milhões de toneladas (7,9%)
Norte, 9,8 milhões de toneladas (4,1%).

Prognóstico para 2020

O IBGE também divulgou seu terceiro prognóstico para a safra de 2020, que deverá ser ainda maior do que a estimada para 2019, de 243,2 milhões de toneladas, ou seja, 0,7% acima da safra do ano passado.

Caixa teve lucro recorde em 2019, diz presidente do banco

Entre as seis principais safras de grãos, apenas a segunda safra do milho deverá apresentar queda em relação em 2019, de 10,4%. As demais deverão apresentar alta: soja (7,8%), arroz (0,9%), primeira safra do milho (1,8%), algodão (2,7%) e primeira safra de feijão (3,3%).