Tamanho do texto

Ibovespa, principal índice do mercado brasileiro, subia 1,03% por volta das 11h, com a possibilidade de acordo entre EUA e China

. arrow-options
Foto: Reprodução/Internet
Já o dólar abriu o dia oscilando perto da estabilidade, após fechar o último pregão do ano próximo a R$ 4

A Bolsa de Valores de São Paulo abriu o primeiro pregão de 2020 com alta do Ibovespa, principal índice do mercado brasileiro. Por volta das 11h, o Ibovespa subia 1,03%, atingindo 116.840 pontos.

Segundo analistas, o resultado da abertura é sustentado pelo otimismo dos investidores com relação a possibilidade de acordo comercial entre Estados Unidos e China, previsto para ser assinado no próximo dia 15. O encontro acontecerá inicialmente na Casa Branca, mas Pequim deverá sediar as negociações da chamada “fase 2”.

Bolsa reduz tarifas no mercado de ações

"O mercado deve seguir impulsionado pela dinâmica do exterior, além da melhor perspectiva para o crescimento do PIB e da aposta em uma melhora no rating de crédito já em 2020", afirmaram analistas da Guide Investimentos, em relatório enviado na manhã desta quinta.

No cenário doméstico, investidores aguardam o resultado da b alança comercial , previsto para ser divulgado às 15h. No ano, as exportações totalizam US$ 219,469 bilhões e as importações, US$ 174,698 bilhões, com saldo positivo de US$ 44,770 bilhões.

Já o dólar abriu o dia oscilando perto da estabilidade, após fechar o último pregão do ano próximo a R$ 4. no menor valor desde novembro de 2018. Por volta das 11h, a moeda americana apresentava alta de 0,06%, sendo cotada a R$ 4,011.

Para Jefferson Laatus, sócio fundador do grupo Laatus, o horizonte para a moeda brasileira é positivo, devido à perspectiva otimista para a economia doméstica e à expectativa de entrada de recursos com ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) em 2020.

Em 2019, a Bolsa foi considerada um dos melhores investimentos do ano, terminando com valorização de 31,6% no ano. Foi a maior alta desde 2016, quando acumulou alta de quase 39%, após despencar 13% em 2015. O resultado foi impulsionado pela expansão da presença de pessoas físicas em aplicações de renda variável. Segundo dados da B3, já são mais de 1,5 milhão de brasileiros investindo na bolsa.

Na tentativa de avançar e popularizar ainda mais a base de investidores , a B3 anunciou nesta quinta a redução da taxa mensal de manutenção de conta, que hoje custa cerca de R$ 110 ao ano. A partir deste ano, o custo será gratuito e haverá redução de 10% no valor cobrado por negociação para pessoas físicas.

Para 2020, as projeções de alta da Bolsa são mais baixas. Segundo economistas consultados pela Bloomberg, o Ibovespa deve terminar 2020 próximo dos 130 mil pontos, o que corresponde a uma alta de 12%.