Tamanho do texto

De acordo com a pesquisa, trabalhador precisaria de valor 4,03 vezes maior que o salário mínimo oficial para sustentar uma família de quatro pessoas

dinheiro arrow-options
Pixabay/Reprodução
Salário mínimo deveria ter sido de R$ 4.021,39 em novembro, segundo o Dieese

No mês de novembro, o salário mínimo necessário para sustentar uma família com quatro pessoas deveria ter sido de R$ 4.021,39, o que representa 4,03 vezes o salário mínimo em vigor, de R$ 998. A estimativa foi divulgada nesta quinta-feira (5) pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômico (Dieese).

Leia também: INSS: 1,8 milhão de aposentados e pensionistas podem ter benefício suspenso

O levantamento é realizado mensalmente como uma estimativa de quanto deveria ser o  salário mínimo  para que sejam atendidas as necessidades básicas do trabalhador e de sua família, como garantido pela Constituição: moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e Previdência Social.

Esse valor é calculado com base no maior valor da  cesta básica  entre 17 capitais pesquisadas. O maior valor foi registrado em Florianópolis (R$ 478,68), enquanto os mais baixos foram vistos em Aracaju (R$ 325,40) e Salvador (R$ 341,45).

A diferença entre o salário mínimo real, de R$ 998, e o calculado pelo Dieese como necessário, de R$ 4.021,39, subiu entre outubro e novembro. No décimo mês do ano, o ideal segundo o levantamento era que o mínimo fosse de R$ 3.978,63, ou seja, 3,99 vezes o salário mínimo atual, o que saltou para 4,03 vezes no mês seguinte.

Em 2020, salário mínimo não terá aumento real

O salário mínimo no ano que vem será de R$ 1.031, de acordo com mensagem modificativa do Orçamento de 2020 enviada pelo governo ao Congresso Nacional  em 26 de novembro. O valor representa redução de R$ 8 em relação ao projeto de lei do Orçamento Geral da União do próximo ano, que previa mínimo de R$ 1.039 para 2020.

Apesar da alta de R$ 33 em relação ao atual salário mínimo, não haverá aumento real do piso nacional, isto é, o valor será corrigido somente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), a inflação oficial, que deve ser de 3,5% no ano que vem.

Leia também: Jornal britânico levanta dúvidas sobre números do PIB do Brasil

Neste ano, o governo de Jair Bolsonaro também já havia definido o salário mínimo com valor abaixo do que fora aprovado pelo Congresso. Enquanto os parlamentares votaram a favor de R$ 1.006, o valor estabelecido e praticado desde 1º de janeiro foi de R$ 998, R$ 44 acima dos R$ 954 de 2018.