Ministro da Economia, Paulo Guedes, encaminha documento ao Congresso com projeção do salário mínimo menor
José Cruz/Agência Brasil
Ministro da Economia, Paulo Guedes, encaminha documento ao Congresso com projeção do salário mínimo menor

Durante esta  semana, o ministro da Economia, Paulo Guedes, enviou ao Congresso Nacional um documento com novas projeções para a elaboração do projeto de Orçamento de 2020 . No documento, o governo apresenta um de reajuste do salário mínimo menor do que o divulgado anteriormente. As informações são da Folha de S.Paulo.

Pacote de Guedes penaliza desempregados e pode gerar demissões em massa

No documento, a estimativa do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) calculado pelo IBGE, é que a inflação de 2019 ficará em 3,26%. No início do ano, a previsão era de 4,02%. Como o cálculo do reajuste do salário mínimo defendido pelo governo tem como base o INPC, o  piso salarial que iria no próximo ano para R$ 1.039, agora não deve passar de R$ 1.030.

O ministro Paulo Guedes defende que o reajuste corrija apenas a inflação , ou seja, sem ganho real para os assalariados. Segundo o governo, a cada 0,1 ponto percentual a mais no INPC representa R$ 689 milhões a mais de gastos para a União. 

Saque do FGTS aumentou para R$ 998: saiba quando você poderá tirar o dinheiro

Você viu?

Um reajuste menor, segundo os mesmos cálculos, pode economizar às contas públicas aproximadamente R$ 5,2 bilhões no Orçamento de 2020.

A decisão final, entretanto, está na mão do Congresso Nacional, que precisa aprovar o projeto de Orçamento e definir as despesas do próximo ano.

Mais da metade dos brasileiros sobrevivem com menos de um salário mínimo

Ministros de Bolsonaro, incluindo Paulo Guedes , chegaram a divulgar uma coletiva de imprensa para o último dia 18, quando explicariam as mudanças no Orçamento de 2020, mas o encontro com jornalistas foi adiado para a semana que vem. 

Segundo a Folha de S.Paulo, no mesmo documento enviado ao Congresso, em que a previsão do salário mínimo caiu, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) do País apresentada pelo governo subiu: de 2,17% para 2,32%.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários