Tamanho do texto

Roberto Campos Neto, presidente da instituição, diz que a ideia é oferecer "taxas favoráveis" em parceria com os bancos para incentivar a organização

Roberto Campos Neto, presidente do BC arrow-options
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Roberto Campos Neto prepara programa de renegociação de dívidas de quem fizer curso de educação financeira

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou nesta terça-feira (19), em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal, que a instituição tem um projeto de renegociação de dívidas em parceria com os bancos que promete "taxas favoráveis" a clientes que fizerem um curso de educação financeira.

Leia também: Após reação negativa, governo pode discutir mudanças em novo pacote de empregos

Segundo Campos Neto, o programa de renegociação de dívidas deverá ser apresentado oficialmente nas próximas semanas. Ele não detalhou a data da divulgação ou os descontos que serão oferecidos, mas indicou que as agências bancárias deverão ter horário estendido para mutirão e os cursos de educação financeira.

O economista disse ainda que "Nós queríamos fazer aos sábados, mas estamos em debate com o sindicato [dos bancários]. A ideia era fazer um mutirão onde todos os bancos vão renegociar dívidas, em taxas favoráveis. A contrapartida disso é que o cidadão vai lá no banco renegociar dívida e faz um curso de educação financeira", antecipou Campos Neto .

Leia também: Nova Previdência pode fazer aposentado do INSS voltar ao trabalho, diz advogado

Para o chefe da autoridade monetária, a ideia é estimular a organização, por mais que um dia de curso possa ser pouco. "É óbvio que não vamos formar as pessoas em educação financeira em um dia. Mas a gente acha que é possível fazer um curso que estimule a pessoa a procurar mais informação no futuro", projetou o presidente do BC.