Tamanho do texto

Em visita à China, o presidente comentou o pacote de empregos proposto por Paulo Guedes, e disse que o foco será em pessoas abaixo de 29 anos e acima de 55 anos

Jair Bolsonaro arrow-options
Marcos Corrêa/PR
Jair Bolsonaro comentou o projeto de Paulo Guedes em visita à China


O presidente Jair Bolsonaro afirmou em visita à China que o projeto para estimular a criação de empregos proposto por Paulo Guedes vai flexibilizar direitos de quem tem menos de 29 anos ou acima de 55 anos. O país ainda tem hoje 12,6 milhões de desempregados , de acordo com dados do IBGE.

Leia também: Guedes prepara pacote que busca criar vagas com 'menos direitos'; entenda

"É parecido com a carteira verde-e-amarela [proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, para os jovens]. Até 29 anos e a partir de 55 anos. Vai ser dada ênfase nessas pontas. As pessoas reclamam que vão ficando mais velhas e não encontram mais emprego. Não dá para mexer na CLT [Consolidação das Leis do Trabalho] porque está engessada pela Constituição", afirmou o presidente.

Segundo Bolsonaro, quem quer empregar no país "está com medo por causa da Justiça do Trabalho". O presidente afirmou, ainda, que as mudanças em análise pelo governo não resultarão em perda de estabilidade para quem já é funcionário, somente para quem entrar no serviço público depois da lei.

Leia também: Governo prepara 'pacotão' de medidas pós-Previdência; confira temas aguardados

Flexibilização de direitos

Bolsonaro não entrou em mais detalhes sobre o plano, mas argumentou a favor da flexibilização de direitos . O presidente disse estar "sentindo por parte do trabalhador" que é preferível que haja mais empregos e menos direitos, do que o inverso. Ele não informou, porém, quais direitos podem ser cortados nesse projeto do governo.