Tamanho do texto

Com a reforma da Previdência, governo sofreu derrota de R$ 76 bilhões no plenário da Casa. Mercado teme desidratação e atraso nas votações

dólar arrow-options
shutterstock
Dólar é cotado a R$ 4,16 nesta quarta-feira (3)

O dólar comercial opera com alta de 0,09% nesta quarta-feira (3), negociado a R$ 4,166. O que faz com que a moeda americana se fortaleça frente ao real são os desdobramentos da votação da reforma da Previdência em primeiro turno no plenário do Senado. O Ibovespa, principal índice da B3, recua 1,44%, aos 102.552 pontos.

No fim da noite da véspera, os senadores aprovaram o texto-base da proposta que altera o sistema de aposentadorias do Brasil. Entretanto, os parlamentares derrubaram na votação dos destaques a mudança proposta no pagamento de abono salarial .

Esta manobra resultou em uma perda de R$ 76,4 bilhões para o governo. Agora, a projeção é que a reforma gere uma economia de R$ 800 bilhões em 10 anos.

Além disso, o calendário de votações da reforma pode ser atrasado. Na avaliação dos analistas, a demora da votação do texto é o que mais deixa o mercado estressado.

Leia também: Entenda o que ainda pode mudar com a votação da reforma da Previdência

"No momento, o que os investidores mais observam é a velocidade na aprovação do texto da Previdência. Quanto mais incertezas sobre os prazos, pior para o mercado", destaca Pablo Spyer, diretor da corretora Mirae Asset.

"Certamente que o impacto fiscal importa. Quanto mais economizar, melhor. Mas, no curto prazo, o que deixa o mercado desconfortável é a possibilidade de mudanças no calendário".