Tamanho do texto

Agências de todo o Brasil funcionam das 9h às 15h neste sábado (14) com atendimento exclusivo para serviços relacionados ao Fundo de Garantia

agência da Caixa arrow-options
Gabriel Guedes/Brasil Econômico
Primeiro dia de saques do FGTS teve movimentação tranquila em agência da Caixa na Praça da Sé, em São Paulo

Começou nesta sexta-feira (13) a liberação de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para clientes da Caixa com conta poupança no banco nascidos entre janeiro e abril.

Leia também: Saques do FGTS começam nesta sexta; confira tudo o que você precisa saber

De acordo com a  Caixa , neste início de calendário cerca de 11,7 milhões receberão automaticamente o valor, limitado a R$ 500 por conta vinculada (incluindo ativas e inativas), movimentando ao todo R$ 4,8 bilhões. Segundo a instituição, cerca de 33 milhões de pessoas (34% dos que receberão dinheiro do Fundo) poderão receber crédito automático em conta poupança.

De olho na movimentação dos trabalhadores, a Caixa estendeu o horário de funcionamento das agências desta sexta (13) até a próxima terça (16) em duas horas, além de ter anunciado ainda operação no sábado (14) em todo o País, das 9h às 15h, com atendimento exclusivo para o Fundo de Garantia . Em São Paulo, na agência localizada na Praça da Sé, uma das mais tradicionais da capital, porém, a manhã de sexta-feira não fugiu do habitual. Nada de fila e tumulto por conta dos saques de até R$ 500 por conta.

Keite Suila, funcionária da Caixa há quatro anos e uma das responsáveis pelo atendimento na agência, cita um movimento "Muito menor do que em 2017", quando o governo do ex-presidente Michel Temer (MDB) liberou recursos das contas inativas do FGTS. Keite pontua, porém, que o motivo é bom: segundo ela, o depósito ser feito automaticamente para quem tem conta poupança e a organização melhor fazem com que haja menos transtornos, embora seja comum ver trabalhadores indo até a agência sem a documentação necessária ou sem ter direito ao saque neste primeiro momento.

Leia também: O que fazer com os R$ 500 do FGTS: pagar dívida, deixar parado ou gastar?

O diretor executivo da Caixa, Matheus Sinibaldi , esteve presente na agência da Sé esclarecendo questões da imprensa sobre a liberação dos recursos e o início dos saques nas agências. Segundo ele, o planejamento da instituição em estender o horário de funcionamento das agências em todo o País faz a diferença para que a movimentação seja mais tranquila.

Para o executivo, é importante que as pessoas busquem se informar pelos meios oferecidos pelo banco público, em especial o aplicativo FGTS , caso possível, para ter acesso ao cronograma de pagamentos, ao saldo do Fundo e ainda para saber se a movimentação na conta já foi feita ou está programada.

Sinibaldi lembra também que a movimentação não foge do habitual no primeiro momento porque, como o crédito é automático, o trabalho é menor e muitos acabam postergando o saque. Além disso, a primeira etapa beneficia 11,7 milhões de brasileiros, um número reduzido dentro dos 96 milhões que têm direito a receber dinheiro do Fundo. Segundo o executivo, a expectativa da Caixa é que grande parte desse montante saque o FGTS.

Márcio Roberto Gomes, motorista de 43 anos, saiu mais cedo para o trabalho e aproveitou para passar na Caixa e fazer o saque. Com a conta do atual emprego e de um trabalho passado, ele sacou R$ 780 e saiu contente da agência. Segundo ele, o dinheiro será usado para tirar a restrição em seu nome. Hoje, Márcio tem uma dívida de cerca de R$ 600 em seu nome, o que deixou seu nome sujo.

Para Matheus Sinibaldi, muitos endividados conseguem quitar suas pendências com o valor a ser sacado do FGTS, assim como planeja Márcio. De acordo com dados do Serasa, a dívida de 67% dos brasileiros é inferior a R$ 500, o valor máximo a ser sacado de uma conta. Para o executivo da Caixa, o ideal é aproveitar a liberação para procurar organizar as contas.

O primeiro dia de saques não foi só de sorrisos, no entanto. Além dos que foram à agência sem a documentação necessária ou não eram beneficiados na primeira leva, alguns trabalhadores nascidos em janeiro, fevereiro, março e abril com conta poupança na Caixa, os requisitos para sacar, foram surpreendidos no momento de retirar o dinheiro.

William de Souza Virgílio, 24, auxiliar de serviços gerais em um almoxarifado nascido em janeiro, relata ter ido à agência sem saber seu saldo no Fundo para fazer a retirada de até R$ 500, mas se deparou com o aviso "pagamento agendado para 13/9" e com a conta zerada.

Leia também: Caixa prorroga prazo para cliente do banco antecipar saque de R$ 500 do FGTS

A mesma mensagem foi vista por Marcelo Branco Tomé, 44, motorista nascido em abril, que também disse não saber seu saldo, mas foi à agência para sacar esperando até mais de R$ 500, já que passou por mais de uma empresa e sabia que encontraria dinheiro parado, o qual será usado para arrumar seu carro e pagar dívidas. Depois de se deparar com o aviso, Marcelo foi conferir seu aplicativo da Caixa, em que constava movimentação nesta sexta, mas no caixa ainda não havia saldo disponível.