Brasil Econômico

jovens no celular
shutterstock
Hábitos de uso dos jovens brasileiros mostram a preferência pelo smartphone

O cotidiano dos jovens brasileiros , de 18 a 24 anos, está permeado pela sua presença:  o smartphone. Ele é o companheiro inseparável seja para enviar mensagens, ouvir música, tirar fotos, conversar com amigos, checar as redes sociais, estudar, trabalhar ou fazer compras.

Não é por acaso que cerca de oito em cada dez desses jovens (77%), admite que suas vidas seriam prejudicadas caso não tivessem o dispositivo. Para os entrevistados, os maiores prejuízos ocorreriam nas áreas de  lazer (39%), estudos ou trabalho (39%), a vida social (37%) e as finanças (21%).

Os dados são da pesquisa realizada em conjunto pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas ( CNDL ), pelo SPC Brasil e pelo Sebrae.

Está difícil focar no estudo ou no trabalho? Recurso do Android pode ajudar

Os jovens utilizam tanto o smartphone que algumas vezes até fazem ligações telefônicas. Curiosamente, o objetivo inicial do aparelho está em sétimo lugar (53,3%) entre as atividades que os jovens costumam exercer no celular.

Antes dele, estão ouvir música (71,8%), acessar as redes sociais (71,2%), assistir vídeos (67%), tirar foto (63,4%), ler ou enviar mensagens (58%) e jogar (56,2%).

De acordo com o estudo, 84% desses jovens, inseridos na chamada Geração Z, possuem um smartphone, enquanto 66% mencionam a posse de um notebook. 

A pesquisa ainda mostra que 87% dos jovens entrevistados acessam a internet todos os dias , principalmente por meio do smartphone (81%), opção bem mais à frente do que os que acessam a partir de um computador de mesa (51%) ou via notebooks (48%).

Governo estuda reduzir impostos de importação sobre computadores e celulares

“A Geração Z não está apenas cercada pela tecnologia, mas sua visão de mundo e a maneira como constroem relacionamentos e interagem com o meio  parecem passar cada vez mais pelo uso de aparelhos móveis conectados. Suas próprias vidas são, em parte, digitais”, observa o presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), José César da Costa.

Compras

A preferência na hora de fazer compras ainda são as lojas físicas (58%). Mas quando esses jovens compram pela internet, os meios preferidos são os sites de redes varejistas (61%), aplicativos do smartphones (52%), redes sociais (31%) e o WhatsApp (26%). 

Comércio comemora aprovação da MP da liberdade econômica

Os itens mais frequentemente adquiridos na internet pelos jovens são roupas, sapatos e acessórios (51%), eletrônicos (45%), livros (35%), jogos eletrônicos (32%), maquiagem cosméticos e perfumes (30%) e eletrodomésticos (26%).

Redes sociais 

O levantamento ainda mostra que 97% da Geração Z usam alguma rede social, com destaque para o WhatsApp (82%), o Facebook (79%), o YouTube (78%) e o Instagram (73%).

Instagramáveis: 10 lugares em São Paulo perfeitos para suas fotos no Instagram

Dentre os principais motivos para utilizá-las estão manter contato com amigos e familiares (59%), ficar informado sobre notícias de assuntos diversos (54%), buscar informações sobre produtos e serviços (40%) e fazer amizades (32%).

Entre os que utilizam as redes sociais,   84% compartilham conteúdo em seus perfis, sendo que 45% compartilham fotos e vídeos pessoais, 42% fotos e vídeos de terceiros que tenham gostado e 34% fazem posts pessoais.

“Os jovens estão na vanguarda da transformação e vem moldando novos padrões de comportamentos, que todos acabam aderindo mais tarde. Grupos de mídia, varejistas, propagandistas ou até mesmos setores da educação, todos precisam se adaptar aos novos tempos”, afirma Costa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários