Tamanho do texto

O Burger King será o primeiro estabelecimento a utilizar o produto, que terá receita especial para a rede e será diferente do produto vendido no varejo

IstoÉ Dinheiro

marca burguer king arrow-options
shutterstock
Burger King será a primeira empresa a oferecer o hambúrguer de proteína vegetal da Marfrig no Brasil

Atenção veganos e entusiastas das foodtechs: a partir de 10 de setembro as lojas da rede de fast food Burger King começarão a contar com um hambúrger feito de carne vegetal fornecido pela Marfrig.

Lanche do Burger King com "carne fake" será vendido em todas as unidades dos EUA

Maior produtora de hambúrguer do mundo, a Marfrig Global Foods anunciou na semana passada  o início de sua produção carne à base de proteína vegetal no Brasil, chamada de “carne fake” .

O lanche do Burguer King será chamado de Rebel Whooper , nome que será adotado pela rede em nível mundial, com exceção dos Estados Unidos, onde o lanche se chama Impossible Whopper devido a fornecedora do disco de carne, a Impossible Foods.

A novidade já está disponível nas lojas suecas do Burger King. No Brasil, o Rebel estará disponível inicialmente em 58 lojas de São Paulo , segundo o Estadão. A versão vegetariana que já existe na rede de fast food, o Veggie Burger, feita de batata e cogumelos, continuará no cardápio.

Justiça determina que Burger King aceite trabalhadores com barba

O disco de hambúrger plant-based da Marfirg será feito em parceria com a processadora de grãos ADM. O Burger King será o primeiro estabelecimento a usar o produto, que terá receita especial para a rede e será diferente do produto vendido no varejo.

Lançamento

A parceria entre a Marfrig e a processadora agrícola norte-americana Archer Daniels Midland Company (ADM), foi anunciada no último dia 6 e envolve produtos com base vegetal . A ADM vai entrar com a matéria prima e a Marfrig com a distribuição dos produtos para empresas de food service e para o varejo. 

Os produtos da parceria serão fabricados na unidade da Marfrig em Várzea Grande, no Mato Grosso. Segundo a distribuidora, os produtos de origem vegetal serão comercializados, inicialmente, para o atacado e  para o varejo uma nova marca da empresa será desenvolvida.