Tamanho do texto

Informação foi confirmada pela assessoria do ministro da Economia; essa não é a primeira vez que um integrante do governo de Bolsonaro é alvo do golpe

Mais um integrante do governo de Jair Bolsonaro teve o celular hackeado. Dessa vez, o alvo foi o ministro da Economia, Paulo Guedes. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da pasta na noite de segunda-feira (22).

Leia também: Guedes critica recuos no parecer da reforma: "Podem abortar a nova Previdência"

Paulo Guedes de braços cruzados arrow-options
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Além do celular hackeado de Paulo Guedes, recentemente outros casos de golpes semelhantes foram relatados no governo

Segundo as informações da equipe de Paulo Guedes, por volta de 22h30, o número do telefone do ministro foi registrado no aplicativo de mensagens Telegram. Em seguida, a assessoria informou que o ele teve seu celular hackeado .

Paulo Guedes é o segundo ministro da atual gestão a ser alvo de hackers. Antes dele, o ministro da Justiça, Sergio Moro, também relatou que o celular foi invadido. A notícia foi no início de junho, quando a assessoria de Moro contou que o hacker invadiu o aparelho e ligou para o próprio titular da linha.

Na época, Moro contou que tinha achado estranho, mas mesmo assim atendeu a chamada. Momentos depois, o invasor acessou o Telegram de Sergio Moro , que suspeitou ser vítima de um golpe.

Logo depois da invasão, a linha do ministro da Justiça foi trocada e a Polícia Federal abriu inquérito para apurar o caso. As investigações da PF mostraram que o hacker se passou pelo ex-juiz e enviou mensagens para seus contatos.

No último fim de semana, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) também relatou que teve seu telefone celular hackeado na madrugada de domingo (21). Em um vídeo publicado pela líder do governo no Congresso em suas redes sociais, ela fala que recebeu ligações do seu próprio número.