Tamanho do texto

A redução ocorreu porque técnicos da equipe econômica fizeram uma nova estimativa que coloca para baixo a previsão de crescimento econômico

O governo anunciou um contingenciamento de R$ 1,442 bilhão do Orçamento nesta segunda-feira. O corte no Orçamento faz parte da avaliação bimestral que o Ministério da Economia faz para verificar a situação de receitas e despesas. A redução da previsão de gasto foi necessária porque os técnicos revisaram para baixo a previsão de crescimento da economia, de 1,6% para 0,8%. 

Leia também: Após aprovação da reforma da Previdência, risco país cai a nível de 2014

Paulo Guedes arrow-options
José Cruz/Agência Brasil - 3.7.19
Na avaliação bimestral do Ministério da Economia, governo admite que fará o bloqueio de verba no Orçamento

No último sábado, o presidente Jair Bolsonaro já havia sinalizado que o governo precisaria contingenciar gastos. Bolsonaro chegou a falar em corte de R$ 2,5 bilhões. Na prática, a equipe econômica teria que fazer um contingenciamento de R$ 2,25 bilhões. A tesourada menor, de R$ 1,442 bilhões, foi possível porque os técnicos usaram R$ 809 milhões de uma reserva de emergência.

Boletim Focus

Após 20 reduções consecutivas, a estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia subiu ligeiramente. É o que mostra o boletim Focus , resultado de pesquisa semanal a instituições financeiras, feita pelo Banco Central(BC) e divulgada às segundas-feiras, pela internet.

A projeção publicada nesta segunda-feira (22) para a expansão do Produto Interno Bruto ( PIB ) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - desta vez passou de 0,81% para 0,82%.

A expectativa das instituições financeiras é que a economia tenha crescimento maior em 2020. A estimativa é 2,10%, a mesma da semana passada. A previsão para 2021 e 2022 permanece em 2,50%.