Tamanho do texto

Presidente estava trabalhando desde domingo para discutir ameaça de greve dos caminhoneiros. Governo suspendeu tabela que desagradou a categoria

Jair Bolsonaro arrow-options
Antonio Cruz/Agência Brasil
Jair Bolsonaro afirma que ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas tem carta branca para negociar com caminhoneiros

O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta segunda-feira (22), que o governo tem monitorado o comportamento dos caminhoneiros  , depois da categoria ameaçar fazer novas paralisações. Ele afirmou estar trabalhando desde a tarde de domingo com sua equipe e que o tema também foi debatido em reuniões nesta manhã.

Leia: Governo decide suspender tabela de frete após pressão de caminhoneiros

"Eu tive informações que estaria resolvido o caso. Dei algumas diretrizes e outras determinações na reunião que participei de manhã. E nós temos mais do que ter a capacidade de se antecipar a problemas. Tem que estar muito bem informado", afirmou o presidente.

A publicação de uma nova tabela pela Agência Nacional de Transportes Terrestres ( ANTT ) irritou os motoristas. Diante da pressão, o governo federal decidiu  suspender a tabela  com o preço mínimo para os fretes publicada na semana passada. Com a suspensão da resolução, fica valendo a tabela publicada em janeiro.

Mais informações:  Governo anuncia corte de R$ 1,4 bilhão no Orçamento após revisão do PIB

Bolsonaro disse que não partiu dele a decisão de suspender a tabela de frete e afirmou ter dado carta branca para que o ministro da Infraestrutura,  Tarcísio de Freitas  , tratasse do assunto.

"Dei carta branca para negociar isso aí. Eu tinha informação agora, parece que aconteceu poucos minutos atrás. Se ele revogou a nova tabela é decisão dele e todo nosso governo apoia a decisão tomada nos limites dado ao ministro Tarcísio", declarou Bolsonaro.

Freitas é o principal articulador do governo junto aos caminhoneiros . O ministro manteve contato com a categoria durante o fim de semana e prometeu suspender a tabela, além de marcar reuniões para quarta-feira, em Brasília, com representantes das categorias.