Tamanho do texto

Votação do texto da reforma da Previdência e dados sobre mercado de trabalho americano influenciam o comportamento do mercado

Após atingir a menor cotação em três meses na véspera, o  dólar  comercial voltou a operar com valorização nesta sexta-feira (5). A moeda americana registra alta de 0,55%, valendo R$ 3,822.

dólar
shutterstock
Nesta manhã, o dólar registrou alta de 0,55%, valendo R$ 3,822

O que contribui para este cenário de ganhos é a volta das operações do mercado americano, que não operou nesta quinta-feira (4) por conta do feriado de Independência dos EUA. Além disso, os investidores seguem atentos à reforma da Previdência na Câmara .

Na Bolsa de Valores , a manhã é de perdas. O Ibovespa, principal índice do mercado local de ações, recua 0,57%, aos 103.037 pontos. Na véspera, o índice renovou o recorde: fechou aos 103.636 pontos.

No início da madrugada desta sexta, a Comissão Especial concluiu a votação e aprovou o texto principal do relator Samuel Moreira (PSDB-SP). Assim, o  próximo passo na tramitação é levar a discussão ao plenário da Câmara para que seja feita a votação em dois turnos.

Na agenda externa, também influencia no câmbio a divulgação sobre a criação de empregos nos EUA. Em junho, o mercado americano criou 224 mil postos de trabalho, o maior número em cinco meses, de acordo com o governo. A projeção dos especialistas era de que 160 vagas fossem abertas.

Leia também: Brasil tem 1,8 milhão de crianças e jovens que exercem trabalho infantil

Os dados sobre mercado de trabalho são importantes porque têm significativo peso na decisão do Federal Reserve (FED, o Banco Central dos EUA) sobre corte ou manutenção do patamar da taxa de juros.