Tamanho do texto

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento anunciou retomada das importações chinesas nesta quinta, após surto de doença em Mato Grosso

Tereza Cristina, ministra da agricultura, na China
Divulgação/Ministério de Agricultura
Brasil voltará a exportar carne bovina para a China após casa de vaca louca

O ministério da Agricultura, Pecuária e Abastaecimento anunciou nesta quinta-feira (13) que a China vai retomar as importações de carne bovina do Brasil que estavam suspensas desde o dia 3 de junho , por conta da notificação de caso atípico de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), a chamada vaca louca , detectado em Mato Grosso.

A China é o único país, entre os importadores do Brasil, que tem protocolo sanitário que exige a suspensão temporária das importações de carne quando detectado caso atípico da doença. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina , recebeu a notícia da reabertura do mercado chinês nesta madrugada, e reafirmou que vai seguir negociando um novo protocolo com as autoridades sanitárias chinesas.

A doença foi constatada em uma vaca de corte, com idade de 17 anos. Todo o material de risco específico para EEB foi removido do animal durante o abate de emergência e incinerado no próprio matadouro. Outros produtos derivados do animal foram identificados, localizados e apreendidos preventivamente, não havendo ingresso de nenhum produto na cadeia alimentar humana ou de ruminantes. Não havia, portanto, risco para a população.

Leia também: A China é nosso grande parceiro e os EUA estão em segundo lugar, diz Bolsonaro

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) encerrou neste mês o pedido de informações complementares do Brasil sobre o caso, o que mostrou que não há risco sanitário.  As exportações de carne bovina continuaram normalmente para os demais países após o caso no Mato Grosso.