Tamanho do texto

Impostômetro, criado em 2005 e mantido pela Associação Comercial de São Paulo, calcula impostos, taxas, multas e contribuições e indica que a marca de R$ 1 trilhão foi alcançada antes do que no ano passado; compare desde 2010

Impostômetro com a marca de R$ 1 trilhão
Divulgação/ACSP
Brasileiros já pagaram R$ 1 trilhão em impostos em 2019, aponta Impostômetro da ACSP

Os contribuintes brasileiros já pagaram R$ 1 trilhão em impostos desde o início deste ano. O valor foi atingido por volta das 13h20 desta sexta-feira (24), de acordo com cálculo do Impostômetro, que foi criado em 2005 e é mantido pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Leia também: CCJ aprova admissibilidade da reforma tributária do centrão

O número de R$ 1 trilhão corresponde ao total pago para União, estados e municípios na forma de  impostos , taxas, multas e contribuições. Este montante foi alcançado 11 dias mais cedo em relação ao ano passado. É a primeira vez em que a marca é atingida no mês de maio.

Há exatamente um ano, em 24 de maio de 2018, o painel registrou R$ 944,6 bilhões. Portanto, a arrecadação apresentou crescimento nominal de 5,86% de um ano para outro. Segundo Marcel Solimeo, economista da ACSP, a alta pode ser explicada pela inflação do período e pela ligeira alta do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no País.

Em 2018, o  Impostômetro registrou R$ 2,3 trilhões em impostos pagos pelos brasileiros, valor que deve subir neste ano. O estado de São Paulo foi o que mais pagou tributos no País, o que se repete neste ano: do R$ 1 trilhão já registrado, 37,39% vieram do estado mais populoso e rico do Brasil. O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) é o que mais arrecada.

"O Brasil cobra hoje de sua população um total de 63 tributos (impostos, taxas e contribuições). É muita coisa e o retorno disso em serviços para os cidadãos é muito tímido. Fazer uma reforma tributária é essencial para o Brasil se desenvolver e se modernizar. Num primeiro momento, o caminho tem de ser a simplificação, de maneira a diminuir a quantidade de tributos. Num segundo momento, quando a economia estiver melhor, é preciso focar na redução da carga tributária”, defende Solimeo.

Leia também: Guedes celebra apoio dos EUA e diz que adesão à OCDE põe Brasil "na 1ª divisão"

A alta dos impostos no Brasil se acentuou nos últimos, à medida que, em 2010, a marca de R$ 1 trilhão foi atingida somente no mês de outubro. Em menos de uma década, o valor foi atingido já no quinto mês.

Confira as datas do R$ 1 trilhão desde 2010

  • 24/10/2010;

  • 03/09/2011;

  • 15/08/2012;

  • 25/07/2013;

  • 10/07/2014;

  • 29/06/2015;

  • 05/07/2016;

  • 16/06/2017;

  • 04/06/2018; e

  • 24/05/2019.

O total de impostos pagos pelos brasileiros também pode ser acompanhado pela internet, na página do Impostômetro ( www.impostometro.com.br ). Na ferramenta, criada em parceria com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), é possível conferir também quanto o País, os estados e os municípios estão arrecadando com tributos, além de saber o que daria para os governos fazerem com todo o dinheiro arrecadado.