Tamanho do texto

Aeroporto de de Guarulhos, em São Paulo, e Luiz Eduardo Magalhães, em Salvador, eram dois últimos dos 15 que adotaram novas regras de despacho

Saguão de aeroporto
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Bagagem de mão que não obedecer à medidas internacionais precisará ser despachada no balcão de check-in


Mais dois aeroportos brasileiros começaram a adotar, nesta quinta-feira (23), a s regras mais rígidas para embarque com bagagem de mão . A partir de hoje, os aeroportos Internacional de São Paulo, em Guarulhos, e o Luiz Eduardo Magalhães, em Salvador, obedecem às novas normas de despacho.

Nesses terminais, os dois últimos dos 15 previstos para adotarem as novas regras, as bagagens de mão que ultrapassarem o tamanho padrão internacional precisarão ser despachadas no balcão de check-in e são sujeitas a cobrança.

Até então, a medida já estava em vigor desde o dia 25 de abril nos aeroportos de Brasília (Juscelino Kubitschek), Natal (Aluízio Alves), Curitiba (Afonso Pena) e Campinas (Viracopos);  desde 2 de maio nos terminais de Fortaleza (Pinto Martins), Belo Horizonte (Confins), Recife (Guararapes) e de Belém (Val-de-Cans); e 13 de maio em Goiânia (Santa Genoveva), Porto Alegre (Salgado Filho), São Paulo (Congonhas), e Rio de Janeiro (Galeão e Santos Dumont).

Qual tamanho será permitido para bagagens de mão?

Malas no aeroporto
Agência Brasil/Marcelo Camargo
Ao todo, 15 aeroportos brasileiros adotaram as novas regras para bagagem de mão


Segundo os padrões internacionais, as bagagens de mão podem ter 35 centímetros de largura, 25 centímetros de profundidade e 55 centímetros de altura . Essa medida vale para todas as companhias aéreas .

Em nota, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) disse que a decisão tem como objetivo "agilizar o fluxo dos clientes nas áreas de embarque, evitando atrasos e trazendo maior conforto para todos os passageiros ", uma vez que, desde o início da cobrança de bagagem despachada , muitos passageiros começaram a levar malas de mão maiores dentro das aeronaves.  De acordo com as empresas, essa ação dos clientes acaba deixando as cabines dos aviões sem espaço, causando problemas e atrasos dentro dos voos.

A Abear explicou, ainda, que o passageiro que tentar embarcar com uma bagagem de mão maior do que o tamanho permitido precisará despachá-la, pagando pelo serviço. Vale lembrar, no entanto, que o Senado aprovou, nesta quarta-feira (22), uma Medida Provisória (MP) que  proíbe a cobrança de despacho de bagagem de até 23 quilos em voos domésticos de mais de 30 lugares.

A associação diz, ainda, que em caso de dúvida com a bagagem de mão , é possível entrar em contato com a empresa aérea antes da viagem ou checar o link em sua página na internet  com as informações necessárias.