Tamanho do texto

Diversos estados brasileiros são afetados pela paralisação; há relatos de ameaças nos grupos de Whats App a quem optou por seguir trabalhando

Motorista Uber
shutterstock
Paralisação no Brasil deve ser de 24h, ao longo de toda a quarta-feira

Na semana em que a Uber realiza seu aguardado IPO, o que deve acontecer nesta quarta-feira (8), motoristas dos serviços de transporte resolveram agir contra uma reivindicação antiga do setor e realizam uma grande greve no Brasil e em diversas cidades do planeta.

A ação, chamada de "  Uber  Off", afeta motoristas em muitos estados brasileiros, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minais Gerais, Rio Grande do Sul, Tocantins, Pernambuco, Espírito Santo e Bahia. Há, também, a expectativa de um ato dos motoristas no Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo.

Apesar da convocação, muitos optaram por não aderir ao movimento e seguiram trabalhando. Por conta disso, receberam ameaças dos grevistas nos grupos de WhatsApp. A informação foi divulgada à reportagem exatamente por um dos "furadores" da greve, que preferiu não ter seu nome divulgado para evitar represálias.

Leia também: Petrobras tem lucro de R$ 4,031 bilhões no primeiro trimestre

Os profissionais que trabalham para a empresa alegam que o processo de IPO não mudará a remuneração pelo trabalho, ao passo que vai enriquecer a empresa. Além de aumento de salário, eles pedem também benefícios básicos, transparência na tomada de decisões e maior representatividade dos condutores nas tomadas de decisão.

Além do Brasil , a greve atinge países como os Estados Unidos, sede da Uber , Inglaterra, Escócia, Irlanda e outros. Em cada um, a ação ocorrerá de maneiras distintas, principalmente no tempo de duração. Algumas cidades, inclusive, devem ter paralisações completas, ao longo de todo o dia, assim como é esperado no Brasil.

Leia também: Fachin nega pedido de Lula para suspender processo com base em comitê da ONU