Tamanho do texto

Se a reforma da Previdência para militares for aprovada, salários de generais, almirantes e brigadeiros poderão passar o do presidente, que é R$ 30,9 mil

Bolsonaro e militares
Fernando Frazão/Agência Brasil
O presidente Jair Bolsonaro disse que militares são "classe maravilhosa"


O presidente Jair Bolsonaro (PSL) declarou, neste sábado (27), que não se importa caso o valor dos salários de alguns militares ultrapasse o seu próprio. O presidente disse não estar "preocupado" com seu salário.

Leia também: Após reforma, generais ganharão quase o mesmo que o presidente da República

 “Não estou preocupado com isso. Não estou preocupado com o meu salário, estou servindo à pátria momentaneamente”, afirmou Bolsonaro quando perguntado sobre a possibilidade de um general em fim de carreira ganhar um salário maior do que o presidente da República.

Esse cenário pode ser real caso a reforma da Previdência para militares seja aprovada .  O projeto prevê uma reestruturação das carreiras da categoria que fará com que generais do Exército, almirantes da Marinha e tenentes-brigadeiros da Aeronáutica tenham um aumento salarial de 33,33%.

Dessa forma, o salário dos militares passará dos atuais R$ 22.631,28 (com gratificações) para R$ 30.175,04. Se aprovado, o novo valor ficará bem próximo ao salário de Bolsonaro , atualmente em R$ 30.934.

No mesmo dia, o presidente disse que igualar os direitos dos militares aos dos civis custaria muito mais caro. Ele, que é capitão da reserva do Exército, também classificou a categoria como "maravilhosa"

“Não temos direito a greve, fundo de garantia, hora extra, sindicalização, filiação político-partidária. Se quiser dar os mesmos direitos (dos civis) aos militares e botar na Previdência, o custo vai aumentar muito mais”, disse. “É um tributo que se exige de todos para que se possa cumprir a missão, essa classe tão maravilhosa que nos momentos mais difíceis da nação sempre esteve ao lado do povo”, continuou Bolsonaro .