Tamanho do texto

Segundo o ministro, os países têm feito esforços para se estabilizarem e têm muitos projetos em comum: "Nosso apoio é total às iniciativas da Argentina"

paulo guedes
José Cruz/Agência Brasil
"O Brasil está conduzindo bem as reformas e a Argentina também seus esforços de estabilização", avaliou Paulo Guedes

Com o dólar beirando os R$ 4 no Brasil e os 48 pesos na Argentina, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que os países sairão juntos deste momento de instabilidade. A declaração foi feita após um encontro de Guedes com o ministro da Fazenda argentino, Nicolás Dujovne, nesta sexta-feira (26), no Rio de Janeiro.

Leia também: Macri decide intervir no mercado e congelar preços para frear inflação argentina

"Então ficamos nervosos juntos e vamos acalmar juntos. O Brasil está conduzindo bem as reformas e a Argentina também seus esforços de estabilização. Vamos sonhar juntos para fazer com que a nossa região e nossos países sejam do tamanho dos nossos sonhos e não pesadelos", disse o ministro.

Guedes anunciou ainda um novo acordo comercial bilateral entre Brasil e Argentina deve ser anunciado em 30 dias. O acordo, disse o ministro, deve incluir questões relativas a comércio e infraestrutura.

"Minha afinidade é total com Nicolás, parece que somos amigos há 20 anos. O Bolsonaro também tem enorme afinidade com o Macri e o nosso apoio é total às iniciativas da Argentina. Olhamos para a OCDE como futuro de integração global", disse Guedes, reforçando que os países tem uma agenda comum, como pode ser visto nos encontros de Davos e do FMI (Fundo Monetário Internacional).

Leia também: Bolsonaro teme que Argentina vire "outra Venezuela" se Cristina Kirchner ganhar

A Argentina já tem o apoio dos 36 membros para ingressar na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).