Tamanho do texto

O presidente disse que não sabe se reforma será aprovada até o fim de junho e disse estar 'muito feliz' com o resultado da votação do projeto na CCJ

Presidente Jair Bolsonaro
Isac Nóbrega/PR
Bolsonaro disse que entende que Câmara faça mudanças no projeto de reforma da Previdência, mas que espera que economia da proposta seja preservada


 O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse, nesta quinta-feira (25),  que não tem como estimar se a reforma da Previdência será aprovada pela Câmara dos Deputados ainda no primeiro semestre deste ano. Apesar da incerteza, ele disse esperar que não "haja turbulência" durante o processo de aprovação.

Leia também: Para Maia, governo se omitiu sobre a reforma: "Enviar projeto só não adianta"

"Eu não posso falar isso [que a reforma será aprovada na Câmara até o fim de junho]. Eu espero que não haja nenhuma turbulência. Se Deus quiser, não haverá. E nós deveremos virar essa página o mais rápido possível da nova Previdência ", declarou Bolsonaro.

O presidente classificou, ainda, a Casa legislativa como “soberana”,  com liberdade para fazer mudanças no proposta de reforma que “melhor atendam as necessidades de todos”, mas ressaltou a importância de preservar os valores previstos para serem poupados. "Agora a economia é importante. A gente espera que ela passe da forma mais próxima do que nós encaminhamos para lá", disse.

Bolsonaro afirmou estar “muito feliz” com o resultado da votação do projeto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, no fim da noite de terça-feira (23). Ao ser instado a comentar a escolha do presidente e do relator da comissão especial , próxima fase da tramitação da nova Previdência , ele disse que não entraria em detalhes porque esta é uma atribuição de Maia.

"Todos os deputados têm responsabilidade -não vou falar todos, porque tem a esquerda que está contra a gente, né?- mas o outro lado nós acreditamos na responsabilidade e no espírito patriótico de todos para levar avante essa proposta", comentou o presidente.

Emseguida, citou o presidente da Câmara, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), a quem já havia agradecido no pronunciamento feito na noite anterior em cadeia nacional de rádio e TV. "A gente espera que, com a liderança em grande parte do Rodrigo Maia, a Previdência prospere também nessa comissão ", declarou.