Tamanho do texto

Aeroportos mais afetado é o de Guarulhos, em São Paulo; antes do processo de recuperação judicial iniciado no ano passado, empresa tinha 50 aviões

Avião da empresa Avianca
Divulgação/Avianca Brasil
Avianca Brasil cancelou 1.305 voos e os aeroportos mais prejudicados são Guarulhos, São Paulo, e Galeão, Rio de Janeiro

Em processo de recuperação judicial desde dezembro do ano passado, a Avianca Brasil cancelou mais de mil voos que decolariam entre esta segunda-feira (22) e o próximo domingo (28). 

Leia também: Companhias aéreas vão intensificar regras de embarque com malas de mão; entenda

De acordo com a companhia aérea, os cancelamentos são causados pela redução de sua frota, que fica cada vez menor. Nesta segunda (22), de acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Avianca devolveu 18 de suas últimas 25 aeronaves. No ano passado, a empresa possuia 50 aviões.

Operando com apenas sete aeronaves, a companhia aérea cancelou, no total, 1.045 voos nesta semana. Para conferir todas as operações desligadas, clique neste link . Na semana passada, mais de 300 voos já haviam sido cancelados .

Entre os aeroportos mais prejudicados pelos cancelamentos da Avianca , estão o Galeão, no Rio de Janeiro, com 171 trechos suspensos, entre partidas e chegadas, e Guarulhos, em São Paulo, com 606 trechos. Outros aeroportos bastante afetados são o de Brasília, com 204 trechos cancelados, Salvador, com 170, Porto Alegre, com 86, e Curitiba com 51.

Outros aeroportos em que haverá suspensão de voos da empresa, entre decolagens e aterrissagens, são Florianópolis (94 cancelamentos), Confins (52 voos suspensos), Vitória (22), Aracaju (32), Recife (110), Maceió (34), João Pessoa (40), Natal (22), Fortaleza (100), Foz do Iguaçu (34), Cuiabá (50), Campo Grande (38) e Belém (14).

O aeroporto de Congonhas, em São Paulo, terá 6 cancelamentos , entre partidas e chegadas, mas o Santos Dumont ficou de fora da lista de voos suspensos.