Atualmente existem 2.547 aeroportos no Brasil, mas apenas 101 deles possuem ligação sistemática e são utilizados pelas empresas de aviação convencionais. Essa realidade faz com que muitos destinos, mesmo com estrutura, tenham acesso mais difícil ou demorado. É nesse ponto fraco que aposta a empresa de aviação executiva Flapper, uma das promessas de revolução do mercado brasileiro de aviação. 

Búzios, Angra dos Reis, Poços de Caldas, Diamantina, Governador Valadares e outras cidades do interior de Minas Gerais são destinos contemplados pela companhia, além das rotas tradicionais de negócios, a exemplo da ponte aérea São Paulo – Rio de Janeiro. Os cerca de 100 mil usuários cadastrados no aplicativo da empresa, em que os voos podem ser agendados dentro de minutos, também têm a opção de fretarem jatinhos e helicópteros para deslocamentos nacionais e internacionais. 

Os clientes da Flapper, empresa de aviação executiva, podem marcar seus voos por aplicativo
Flapper
Os clientes da Flapper, empresa de aviação executiva, podem marcar seus voos por aplicativo

Um detalhe que vale a pena ser ressaltado é que as viagens podem ser reservadas em três etapas simples, que duram apenas 30 segundos, até mesmo no dia da viagem - e o valor não varia conforme a antecedência. Os principais trechos operados têm preços médios que variam de R$ 800 a R$ 950, mas há casos promocionais em que o deslocamento de jatinho executivo pode ser feito por apenas R$ 300. 

“Já conseguimos um helicóptero para um jogador de futebol em 10 minutos. Como foi no sistema de frete, o custo foi maior. Mas a empresa tem 212 aeronaves no Brasil e está preparada para personalizar a experiência do cliente”, conta Paul Malicki, fundador da Flapper.

Leia também: Embraer vai pagar US$ 1,6 bilhão a acionistas após acordo com Boeing

Ainda em 2019, a Flapper pretende lançar um programa de fidelidade e uma nova funcionalidade de "crowdsourcing” (colaboração coletiva), permitindo que os usuários criem os próprios voos e os dividam com outras pessoas. A empresa será a primeira do ramo a oferecer tal funcionalidade no Brasil.

Você viu?


Conheça as principais rotas da Flapper

  •  São Paulo – Rio de Janeiro: os voos saem de São Paulo pelo aeroporto de Congonhas às segundas-feiras (7h30) e às sextas-feiras (17h30). Os que partem do Rio de Janeiro pelo aeroporto de Jacarepaguá saem às 9h nas segundas-feiras e às 19h nas sextas-feiras. 


  • São Paulo – Angra dos Reis: considerado um dos best-sellers da empresa, o trecho garante vista panorâmica do litoral norte. Os voos possuem saída do Aeroporto Campo de Marte, às sextas (14h30) e aos domingos (16h30), partindo do Aeroporto de Angra dos Reis.


  • Rio de Janeiro – Búzios: partindo do aeroporto de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, as viagens são feitas no período da manhã com retorno em dois dias, durante feriados. 


  • Minas Gerais: por meio do acordo firmado com o Voe Minas, a Flapper utiliza aeroportos particulares do estado para oferecer mais opções de transportes. Os voos saem do aeroporto de Pampulha, em Belo Horizonte, e vão para Almenara, Araçuaí, Araxá, Caratinga, Diamantina, Governador Valadares, Manhuaçu, Patos de Minas, Patrocínio, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Teófilo Otoni, Varginha e Viçosa.

As vantagens da aviação executiva

 Viajar de avião em vez de carro ou ônibus é significado de economia de tempo, mas ainda assim é preciso chegar pelo menos uma hora antes no aeroporto, fazer check-in, despachar bagagem. Na aviação executiva esse tempo é economizado, já que o serviço é mais personalizado e o embarque é realizado em poucos minutos. 

Outro ponto importante nesse sentido é o aeroporto de saída ou chegada dos voos. No Rio de Janeiro, por exemplo, as aterrisagens são no aeroporto de Jacarepaguá, o que pode ajudar a evitar o trânsito da cidade. No caso de Búzios e Angra dos Reis, cidades não atendidas pela aviação comercial, o período de deslocamento é ainda significativamente menor. 

“Precisão, conforto e os lugares para onde vamos são os diferenciais do nosso serviço de aviação executiva . Um voo da Flapper dificilmente atrasa ou é cancelado, a não ser por condições climáticas adversas”, finaliza Paul.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários